Há 85 anos o primeiro Skoda de luxo. Hoje, o Fabia é o mais económico

Há 85 anos foi entregue o primeiro automóvel de passageiros com o logótipo Škoda, um sedan de luxo construído com base mecânica de um Hispano Suiza. Este foi o primeiro modelo a ostentar o logótipo com a seta alada.

A 10 de Maio de 1926 o veículo era entregue pelo presidente da Checoslováquia, Tomáš Garrigue Masaryk, sendo que, até 1929, seriam construídos um total de 100 automóveis de luxo.
O fabricante industrial de Pilsen já tinha comprado a licença para a produção
à empresa Hispano-Suiza em 1924, ou seja, antes ainda da fusão com a fábrica de automóveis da Laurin & Klement. Isso explica o nome adicional no processo de designação do veículo, cuja produção teve início na primavera de 1925. O projecto foi desenvolvido pela Brozik & Jech, empresa carroçadora líder na época, e mais tarde por Laurin & Klement.
A fabricação estava ainda longe da produção em série. Cada ŠKODA Hispano Suiza 25/100 PS era único, feito por medida e de acordo com os desejos do cliente.
Isso fazia de cada carro um modelo original. Dependendo do equipamento, podia pesar até 2700 kg, com capacidade de atingir uma velocidade máxima de 140 km/h.
O preço, várias vezes superior ao preço de outros veículos disponíveis no mercado, era justificado pelo fabricante com o facto de ser um carro de luxo, desenhado por um engenheiro brilhante que deixava a sua marca nos pequenos detalhes, fabricado com o máximo cuidado e utilizando materiais nobres.


Mais de 2000 km só com um depósito


Mas se este era um carro caro e de luxo, 85 anos depois a marca checa oferece uma gama mais diversificada de modelos, destinada a todo o género de bolsas.
Decisiva para a sua manutenção foi o facto de ter sido adquirida pelo gigante alemão Volkswagen, passando a beneficiar do conhecimento e das capacidades financeiras deste grupo construtor.
Ao ponto de hoje já produzir produtos mais fiáveis e com melhor qualidade, apesar de não beneficiar ainda da mesma imagem de marca.
O Skoda Fabia é o modelo mais acessível e a versão “GreenLine” a que beneficia de um conjunto de alterações com vista a ser mais económica e menos poluente.
Recentemente um austríaco conseguiu cumprir uma viagem de ida e volta entre a Áustria e a Dinamarca, com apenas um depósito de combustível. O consumo médio de combustível foi assim de apenas 2,21 l/100 km, para um total de cerca de 2.006 km. Não foi esta a primeira vez que Gerhard Plattner estabeleceu recordes de poupança e toda a viagem, feita com o depósito selado, foi supervisionada por autoridades competentes.
O Škoda Fabia GreenLine tem um consumo homologado de 3,4 l/100 km.

2 comentários:

  1. Em que é que se baseia para afirmar que a Skoda é melhor do que a VW. A Skoda é e será sempre uma marca branca da VW, por mais que lhe aumentem os preços.

    ResponderEliminar
  2. Caro ou cara anónimo(a): Não sou eu quem o afirma mas sim estudos realizados por organizações europeias, da qual a "nossa" Deco também faz parte. Diversos outros estudos e inquéritos, realizados a clientes europeus, também colocam a Skoda à frente da VW e inclusive da própria Audi que também faz parte do grupo. Razões para isso podem ser várias. Há quem atribua ao facto da Skoda manter uma forte identidade checa e, por isso, quem trabalha nas suas fábricas, na República Checa, encarar com orgulho, dedicação e cuidado o produto do seu trabalho. Pode ser. Mas certamente isso seria objecto de um estudo mais prolongado, quiçá académico. Nada me move contra qualquer uma das marcas, as três representadas em Portugal pelo grupo Siva. Que, de resto, deixou de ceder para ensaio qualquer dos
    modelos que comercializa. Participe mais vezes.

    ResponderEliminar