APRESENTAÇÃO: Honda Civic 1.6 diesel chega a Portugal em Janeiro

Com chegada prevista para Janeiro de 2013, um novo Civic 1.6 a gasóleo com 120 cv estará disponível a partir de 24.350 euros. Esta é uma das versões mais aguardadas da nona geração do Honda Civic lançada em Portugal no primeiro trimestre de 2012, e constitui um alicerce fundamental para as ambições europeias da marca japonesa que prevê investir 330 milhões de euros na sua fábrica inglesa de Swindon. O Civic será assim o primeiro modelo da Honda equipado com um motor da nova geração “Earth Dreams Tecnology”, uma nova gama de motorizações com elevadas prestações e grande economia de combustível.

Sobre este novo motor turbodiesel de 1,6 litros com 120 cv e 300 Nm de binário, sabe-se apenas que se trata de uma unidade em alumínio compacta e leve, capaz de proporcionar emissões de CO2 de somente 94 gr/km.
A potência máxima é atingida às 4000rpm, enquanto o valor máximo de binário - 300 Nm - está disponível junto das 2000rpm. Tem 4 cilindros, tecnologia multiválvulas e injecção Common rail e o consumo médio estimado é de
3,6 litros. As emissões situam-se abaixo das 100 gr./km.

Preços e níveis de equipamento

Em Portugal, o novo Civic1.6L diesel estará disponível em 3 níveis distintos de equipamento com os seguintes preços:

- 1.6 Comfort…. 24.350€
Equipamento: Jantes em liga leve de 16”, ar condicionado, cruise control, todos os sistemas de segurança, faróis automáticos com temporizador, novo ecrã i-MID.

- 1.6 Sport…. 25.600€
Equipamento: ao anterior acresce volante e punhos da alavanca de velocidades em pele, ar condicionado de dupla zona, sensor de chuva e de luz, controlo remoto dos vidros eléctricos e espelhos retrácteis, tomada de energia na bagageira, Sistema Bluetooth HFT, jantes em liga leve de 17”, faróis de nevoeiro dianteiros e câmara de estacionamento traseira.

- 1.6 Lifestyle…. 27.700€
Equipamento: Ao anterior acrescenta espelho retrovisor antiencadeamento, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, bancos dianteiros aquecidos, rádio com recepção digital DAB+, sistema de som premium com subwoofer, vidros escurecidos, faróis bi-xenon com lava faróis e sistema de suporte de máximos.

(Estes valores não incluem a pintura metalizada nem as despesas de logística e de preparação.)

Motor 1.6L irá equipar novo CR-V

No desenvolvimento deste novo motor, o importante para a Honda foi manter um bom compromisso entre a eficiência ambiental e a performance dinâmica que se espera de um carro que transporta o símbolo da marca nipónica.
O desejo de oferecer uma condução divertida, sem sacrifício de consumos ou emissões, foi um desafio que os técnicos esperam ter conseguido superar, até porque este motor irá equipar modelos tão díspares quando o Civic ou o novo SUV Honda CR-V.
É importante ainda frisar outra novidade que esta nova geração no Civic reintroduz, nomeadamente uma variante carrinha (Wagon). tão apreciada em anteriores gerações.
A indústria portuguesa irá ser também fundamental na construção de peças para este novo motor diesel 1.6, uma vez a fábrica Portuguesa “Tesco Componentes para Automóveis”, com sede no concelho de Vila Nova de Famalicão, foi escolhida como parceira privilegiada no fornecimento de diversos componentes em alumínio fundido.


Procura automóvel novo, usado ou acessórios? Quer saber mais sobre este ou sobre outro veículo?

4 comentários:

  1. magnífico automóvel recomendo... Parabéns Honda.

    ResponderEliminar
  2. magnífico automóvel recomendo... Parabéns Honda.

    ResponderEliminar
  3. alguem me explica as duas manutenções anuais e ditadas pelo computador ???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os serviços técnicos da Honda indicam que o Sistema Avisador de Serviço de Manutenção poderá ser variável de acordo com a sua utilização. No entanto, não deverá ultrapassar o período máximo de 1 ano ou 20.000 km, conforme o que ocorrer primeiro. Convém salientar, e esta é uma constatação dos editores deste site em relação a outros modelos igualmente equipados com motores a gasóleo, que uma circulação mais intensa em ambiente urbano, em curtas distâncias e sem que o motor atinja temperaturas normais de funcionamento, poderá despoletar o referido indicador de necessidade de serviço. Geralmente, se não se registar qualquer outra alteração - sobreaquecimento ou falha de motor -, percorrer alguns quilómetros em estrada é suficiente para tal deixar de acontecer. Se a situação persistir não deve deixar de consultar uma oficina da marca. Afinal, a sua viatura dispõe de garantia do fabricante.

      Eliminar