APRESENTAÇÃO: Citroën DS5

De carácter individualista por natureza e à altura de poucos eleitos. Para distinguir os veículos desta espécie, a Citroën recuperou uma designação grata à memória da marca francesa: “DS”. O primeiro foi o DS3, nascido para combater esse grande fenómeno de popularidade que é o novo Mini. Depois o DS4; agora anuncia o DS5 para Março do próximo ano. É o primeiro modelo da marca francesa a recorrer à tecnologia Hybrid4, em tudo semelhante à do Peugeot 3008 AQUI referenciado. Preços? Pois! Por enquanto nada se sabe…
Radicais, marcantes, modernos e exclusivos. Qualquer destes adjectivos serve para descrever os Citroën DS. Modelos de topo, com níveis de equipamento e acabamentos elevados e capazes de satisfazer os mais exigentes.Assim acontece com o DS3 (ver AQUI), ou o DS4 (ver AQUI), surgidos este ano no mercado português. Quanto ao Citroën DS5, o importador nacional prevê começar a comercialização lá para Março, não adiantando muitos pormenores sobre este novo automóvel.
AQUI encontra-se um texto mais completo, efectuado aquando a sua apresentação no Salão Automóvel Chinês.

Sabe-se que conterá todo o pedigree da linha DS, com um interior naturalmente refinado e dominado pelo contraste desportivo entre o couro e o alumínio. E igualmente marcado pelo efeito colorido do painel de instrumentos.
Com lotação para cinco ocupantes, apresenta como dimensões 4,52 m. de comprimento por 1,85 m. de largura.
A capacidade da mala é de 465 litros.

Avanço tecnológico


Tecnologicamente bastante evoluído, apresenta itens como o controlo de tracção inteligente e implementa a segunda geração do sistema de alerta de saída involuntária da faixa de rodagem, comutação automática dos faróis em função do tráfego circundante, transmissão de informações a cores no pára-brisas e câmara traseira para estacionamento.
A grande novidade é, contudo, o facto de ser o primeiro modelo da marca a adoptar a tecnologia diesel “full-hybrid” HYbrid4, capaz de assegurar performances elevadas graças à conjugação dos dois motores. (Ver mais AQUI em relação ao Peugeot 3008).
Aos 200 cv anunciados ou à tracção integral com as duas motorizações a funcionarem em simultâneo, junta-se a possibilidade de uma condução somente eléctrica em circuito urbano ou incremento do poder de aceleração.

Graças a tudo isto, o novo Citroën DS5 reclama emissões combinadas de CO2 de apenas 99 g/km.
Para 200 cv meus senhores!

(texto elaborado com base em documento distribuído pelo departamento de comunicação da marca)

2 comentários:

  1. estou interessado em comprar o DS 5 mas com suspensão idraulica, caso venha a estar disponível agradecia o contacto para o tel 964852595

    ResponderEliminar
  2. Viva. Agradeço o seu comentário. O DS5 é um automóvel que dá primazia ao carácter dinâmico em prol do conforto. Como explicarei quando em breve publicar o resultado do ensaio feito à versão 1.6 e-HDi, a mais económica da gama. Não quer isto dizer que a suspensão hidropneumática ou hidroactiva da Citroën não tenha também esse objectivo. Simplesmente são preocupações de conforto que estão em primeiro lugar. Por outro lado, até mesmo no 1.6 e-HDi que não dispõe de sistema híbrido, o chassis do DS5 foi concebido para ter baterias e motor eléctrico na parte traseira do veículo, retirando espaço para a existência de outra suspensão que não seja uma, digamos, mais convencional. Um DS5 equipado com suspensão Hydractive é, portanto, pelo menos nesta geração, muito pouco provável. Resta-me dizer que cockpitautomovel.com não vende automóveis, limita-se a noticiar e publicar ensaios. Deverá portanto contactar um concessionário da marca que certamente terá meios para lhe dar a conhecer a nova coqueluche do construtor francês. Obrigado pelo seus contacto. Rogério Lopes.

    ResponderEliminar