Como pagar portagens electrónicas, incluindo matriculas estrangeiras? Consulta de portagens por pagar.


- Quanto tempo tenho para pagar as passagens?

- Onde posso e como posso pagar as portagens das antigas SCUT?

- Que portagens tenho para para pagar e onde posso consultar o valor em dívida?

- Matrícula estrangeira. Que devo fazer para pagar a passagem pela via electrónica?

- Posso pagar antecipadamente o percurso que vou fazer de carro em Portugal?

- Todas os métodos de pagamento de portagens electrónicas já a seguir



Enorme quebra-cabeças para muitos automobilistas continua a ser o pagamento das passagens pelas novas auto estradas com dispositivo electrónico para pagamento.

Principalmente para quem vem do estrangeiro e não encontra muita informação, desconhecendo, por isso, esta forma de cobrança e os métodos disponíveis para pagamento.

Para quem não dispõe de Via Verde, o pagamento das portagens pode ser razão para atrasar uma viagem, sobretudo em zonas de maior tráfego. Por razões económicas ou convicção, há também quem opte por estradas interiores sem portagem. Contudo, convém ter em conta o tempo eventualmente perdido por causa de acidentes e consequentes engarrafamentos, aos limites inferiores de velocidade e ao número de quilómetros a mais que muitas vezes é necessário percorrer até ao destino.

Como saber se tenho uma portagem para pagar?


O portal "Pagamento de Portagens" permite a regularização de dívidas de portagens de viaturas com matrícula nacional ou estrangeira, antes na sua notificação às Autoridade Tributária, desta forma evitando o pagamento de coimas.

Este serviço pode ser utilizado por qualquer condutor, independentemente de ser ou não cliente Via Verde.

Numa primeira fase estão apenas disponíveis as indicações de passagens nas concessões Brisa, Brisal, Douro Litoral, Atlântico, Infraestruturas de Portugal (apenas a A21), Baixo Tejo e Litoral Oeste, uma vez que a Via Verde não tem acesso às informações das outras concessionárias: Ascendi, Via Livre, Portvias e Lusoponte.


O pagamento das passagens pode ser efectuado após o pedido de uma referência multibanco ou através de cartões de débito e crédito das marcas Visa e Mastercard, para facilitar o pagamento por parte de proprietários de viaturas com matrícula estrangeira.

Está ainda disponível uma linha de atendimento - 707500251 - para prestar todas as informações.

O serviço permite não só pesquisar os valores em dívida associados a uma matrícula, como também é possível, aos condutores que tenham recebido uma notificação com um código de registo, aceder ao detalhe dos seus processos: datas, notificações enviadas, fotografias, etc.

Carros com matrícula portuguesa

Quem não tiver um dispositivo electrónico, como a conhecida “Via Verde” (ainda que esta tenha obrigatoriamente que estar associada a este novo serviço), a forma mais simples de fazer o pagamento da passagem é dirigir-se a qualquer estação dos CTT ou a uma “Pay Shop”. Estas últimas encontram-se geralmente em papelarias. 


Deverá fazê-lo nos 5 dias úteis a seguir à passagem, bastando somente referir a matrícula da viatura. Este serviço tem um custo acrescido de 31 cêntimos.



Os CTT oferecem ainda a vantagem de poder limitar os dias de cobrança. Isto é particularmente útil para casos em que há partilha de automóvel.


Outro modo igualmente fácil consiste em enviar um simples SMS com o texto “CTTMBespaçomatrícula” (ex.:CTTMB AA-00-00) para o número 68989 (custo €0,30 c/IVA por SMS) nas 48 horas após a passagem no pórtico de portagens.

O cliente receberá um SMS de resposta com a referência, entidade e valor a pagar bem como a data limite para pagamento da respectiva referência. Além do valor pago pelo envio do SMS, este serviço tem um custo acrescido de 30 cêntimos.

Os sites da Brisa e dos CTT dispõem de mais informações sobre o assunto.

O que atrás foi dito, é apenas válido para carros com matrícula nacional.

Para os veículos com matrícula estrangeira existem outros modos de pagamento:

Links úteis:

- "Estrada Livre", criado pela EP - Estradas de Portugal: é possível calcular o valor das portagens de determinado trajecto para qualquer classe de veículo (seguir este LINK), indicando ainda a distância até ao destino.

- Página oficial dos CTT: oferece a faculdade de pesquisa dos valores em dívida a partir da matrícula da viatura (verificar AQUI). Este serviço obriga a registo com email e morada.

Carros com matricula estrangeira

Para os veículos com matrícula estrangeira existem vários modos de pagamento:

- Aluguer de um dispositivo electrónico temporário, que pode ser adquirido em locais próprios junto às principais entradas de fronteira. O "Dispositivo Temporário Via Verde Visitors" tem um custo do aluguer de 6 euros na primeira semana e de 1,5€ por cada semana seguinte. A caução inicial é de 27,50€, sendo que este valor é reembolsado no momento de devolução do dispositivo. Poderá comprar esse dispositivo via online AQUI

-  Sistema EASYToll, uma solução de pagamento destinada a turistas e emigrantes com a associação de um cartão bancário (Mastercard e Visa) à matricula da viatura. As portagens passarão a ser debitadas na conta associada ao cartão da matricula e é válida por 30 dias, sendo emitido um talão comprovativo que deverá ser conservado.

- TOLLCard, produto activado por uma sms e com um valor fixo a consumir em função da circulação. Solução permite pagamento em numerário ou com cartão bancário, tem a validade de um ano e o seu saldo pode ser consultado na internet. É destinado a turistas e emigrantes. O condutor tem a possibilidade de adquirir AQUI um cartão previamente carregado com 5, 10, 20 ou 40 €.

- TOLLSERVICE, sistema através do qual o condutor pode adquirir um título pré-pago, pronto a utilizar, com um custo fixo de 20 €, com utilização ilimitada durante 3 dias. Este sistema só é válido para veículos ligeiros e a aquisição destes títulos pré-pagos implica viagens previamente definidas (trajecto Espanha-Aeroporto do Porto, via A28 ou A41, ida e volta ou trajecto Espanha–Aeroporto de Faro, via A22, ida e volta). Pode ser comprado AQUI ou adquirido em vários outros locais.

Todas as soluções que estão descritas neste texto estão bem detalhadas NESTE LINK que pode ser consultado em várias línguas.

-->

16 comentários:

  1. Basicamente são umas máquinas de fazer dinheiro! Não há custos com funcionários no local, o equipamento parece-me que já se deve ter pago, ou pouco faltará, com a quantidade de postos de cobrança electrónicos ao longo do percurso. Entretanto quando uma pessoa se dirige aos correios no dia informam-nos de que só poderá ser pago 48 horas depois de passar o pórtico e nunca depois de 10 dias, o que é fantástico para quem está de férias, superconveniente, para já falar do estrangeiros que nem se devem aperceber muito bem do que é que se passa. Entretanto, para os incautos, ou que não foram pagar nessa pequena janela de oportunidade, chega depois uma bela factura a casa, uns bons tempos depois, a cobrar horrores por um percurso que a gente nem se lembra nunca de ter feito, menos ainda confirmar ou desmentir. Estou errrada? Nunca ouviram estas histórias?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é bem verdade mas eles não devem sequer ver o que as pessoas escrevem devem ter muito trabalho !! isto ´é uma vergonha e uma merda de pais de sistemas de pessoas sei la mais o Q!

      Eliminar
  2. so em Portugal pais do 3 mundo so gatunos os do governo em mais nenhum pais da Europa se faz isso nas autoestrdas todos pagam na hora nao ha caça a multa como em Portugal pais de corruptos e mafiosos.

    ResponderEliminar
  3. @kindala : Não esta errada. "Fantastico" + "horrores" : esta tudo dito.

    ResponderEliminar
  4. Se eu quero ir para o Porto Francisco Sá Carneiro me pagar por isso, tomo a auto-estrada A3 e finalmente terminou um derivado via expressa com x-scud (e não pagar).
    Se eu quiser usar a A28, não vejo nenhuma maneira que não envolva a pagar mais ou deixar o dinheiro em um "cofrinho" com uma data de validade, quando o que eu quero é para pagar minhas costas e minhas costas nem mais, nem menos.
    Além disso, uma vez que é assim lá não seria capaz de fazer mais em linha com o meu cartão Visa, por exemplo. Que se apenas, minhas costas e minhas costas, nada mais, porque eu nunca sei quando vou visitar o seu país e pagar por aquilo que você não está indo para consumir tem muitos nomes, e nenhum bom ...

    Certamente, se nós temos algo em comum. Políticos. Supõe-se lá que as pessoas que governam ao vivo em um justo, equitativo e protegidas contra o abuso por banqueiros, multinacionais e oligoipolios, entre outros, e realmente gasto só servem para confraternizar com aqueles que nos oprimem para continuar na cadeira ou finalmente passar os conselhos de algumas dessas empresas.
    Em geral, só servem para enfeitar postes de luz.

    Desculpe estragar seu idioma. Saudações a todos do norte da Espanha.

    ResponderEliminar
  5. como saber se tenho divida com o meu carro

    ResponderEliminar
  6. eu nao dou nª de conta para comprar cartoes para passar nas scut...nem nª de comtribuinte...a ladroes....se quiserem dinheiro facam como espanha e frança, ponham portagens...qualquer dia vou levar o dinheiro a casa desses ladroes

    ResponderEliminar
  7. passei na A 25 com um carro de matricula estrangeira e nos ctt me dizem que o sistema não lê matriculas estrangeiras ;; como faço para pagar ??????

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não pague, como acima indicado ha que meter portagens com pessoal havera menos desemprego....

      Eliminar
    2. então se o sistema na lê matriculas estrangeiras, logo não é preciso pagar.

      Eliminar
    3. O sistema lê matrículas estrangeiras! Eu já activei o sistema de pagamento por débito directo quando entrei por Vilar Formoso e funcionou. O problema registou-se quando entrei por Badajoz/Elvas e não tive nenhum pórtico onde registar a matrícula da minha viatura. Quando passei por pórticos o sistema deve ter lido a matrícula e registado no sistema. O problema é que não encontrou onde fazer o débito e eu não sei como fazer o pagamento. Sei que tenho de pagar, mas não sei como porque não está explicado em lado algum como pagar passagens em pórticos de auto-estrada de matrículas que não são previamente registadas

      Eliminar
  8. com matricula estrangeira ? nem as autoestradas pago , passo sempre na via verde , estes incompetentes ensinaram-me a trafulhar , era honesto , mas vim trafulha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cuidado que as facturas mais tarde ou mais cedo vão aparecer...

      Eliminar
  9. Uns anos atrás entrei em Portugal com a minha viatura de matricula estrangeira e deparei-me em alguns locais com uns mamarrachos aéreos cheios de farois. Viajo muito pela europa e nunca havia visto algo semelhante, daí ficar perplexo pelo objectivo de tal coisa. Mais tarde, em conversação com outras pessoas, descubro que eram portagens electrónicas e pensei para comigo: Que mais imaginarão estes ladrões para assaltarem os bolsos de quem trabalha.
    Como não bastasse... dois anos após volto a Portugal, e querendo ser um bom português de visita ao seu país natal, paro numas maquinetas para tentar agregar a matrícula do meu carro ao meu cartão visa e qual o meu espanto estas se recusaram em aceitá-lo, informando-me que era desconhecido !!!! Saliento que era um Visa Gold e nunca me deu problemas em nenhum país por onde passei, inclusivamente em TPA's portugueses. E isto repetiu-se no ano seguinte daí pensar que poderia ser devido a só aceitar visas portugueses. Mesmo assim... querendo ser honesto tentei informar-me de como poderia pagar essas ditas portagens e aconselharam-me a passar pelos CTT. Foi o que fiz e obtenho como resposta que desconhecem a matricula da minha viatura.
    As minhas dúvidas são as seguintes:
    1. Desde quando um cidadão, português ou não, é obrigado a possuir um cartão visa para circular numa estrada? E se só tiver um cartão de débito (também o tentei) ?
    2. Em um país que luta por fazer crescer o turismo este não deveria antes facilitar as deslocaçoes desse mesmo turismo no seu interior?
    3. Obrigaram-me a emigrar para poder alimentar os meus descendentes. Todos os meses envio quantidades de dinheiro razoáveis para Portugal (a troco de nada por parte da administração portuguesa) tentando consertar o que estes senhores destruiram... " O Emprego ". Tenho/temos ainda de pagar para poder dar um abraço à família?
    4. Estas ditas scuts/auto-estradas não foram já pagas pelas centenas de milhões de euros vindos da C.E. ?
    5. Já não falando do I.A. e I.V.A., para que serve o Imposto de Circulação Automóvel pago anualmente? Não deveria ser para a manutenção dessas e doutras ditas vias?
    6. Em casos como o meu (e outros) em que estou ausente de Portugal há muitos anos, depois de sair só passados mais de seis anos consegui voltar a visitar o meu país, tenho a obrigação de saber para que serve aquele mausuléu sobre as estradas portuguesas?
    7. Porque não fazem como todo mundo e colocam um posto de cobrança no final/início de cada troço?
    ... De facto há coisas que nem o próprio diabo sabe explicar.

    ResponderEliminar
  10. É uma vergonha como se pode retroceder anos e anos. Não faz sentido a opacidade inerente ao pagamento de Scuts. Foi uma invenção para roubar mais dinheiro a quem usa as auto estradas e para contribuir para o desemprego. Simplesmente uma vergonha nacional que parece não incomodar os nossos governantes

    ResponderEliminar
  11. como saber o que se deve nas portagens electronicas com matricula estrangeira sem preenchimento de dados pessoias como mail, NIF e outros dados muito pessoais ? também não se sabe até que data a retroactiva fica-se em débito ?

    ResponderEliminar