Header Ads

ENSAIO: Hyundai i10 1.0 Mpi Comfort. Preço. Motor. Equipamento

- Hyundai renovou o pequeno i10 lançado no final de 2013

- Mudanças estéticas e comportamentais

- Dimensão compacta mantém excelente habitabilidade

- Consumos, preços e desempenho

A Hyundai renovou o pequeno i10 lançado no final de 2013 (ver o que ele trouxe de novo).

O que ele traz de diferente?

Continua a ser um dos carros mais pequenos do seu segmento, o que lhe dá clara vantagem em termos de manobra (raio de viragem de 4.86 metros) e facilidade de condução.

Mas com apenas 3,66 metros de comprimento (a título de comparação, o Ford Ka+, um dos maiores do segmento A, mede mais 27 cm, enquanto o Mitsubishi Space Star, outra referência da classe, tem mais 13 cm de comprimento), isso não o impede de oferecer habitabilidade e um espaço traseiro que surpreende e, mesmo assim, uma bagageira com 252 litros de capacidade.

Outra razão para o Hyundai i10 se evidenciar neste segmento é a boa qualidade de construção, assente na utilização de materiais plásticos de aparência robusta.

E também o extraordinário equilíbrio do desempenho da suspensão que, apesar de não poder ter um curso longo por causa das dimensões do carro, faz bom aproveitamento do facto de utilizar pneus com perfil mais elevado (175/65R14), logo com maior capacidade de amortecimento, para manter o conforto a um nível bastante aceitável.

Surpreendentemente, nada disto impede o i10 de revelar também alguma atitude dinâmica.

Não é esfuziante, mas a leveza e a estrutura compacta, com uma frente bastante incisiva e uma traseira solidária com o conjunto, contribuem para atenuar o facto do pequeno motor de 1,0 litro, a gasolina, ter apenas 66 cv.

A Hyundai diz ter feito alguns ajustes na direcção, na transmissão e na suspensão, para melhorar as reacções, e a verdade é que o i10 parece ter aumentado a agilidade nesta renovação.

Por isso, esta unidade com 66 cv é suficiente para uso urbano, com a vantagem de poder manter um consumo médio moderado; o computador de bordo registava, no final do ensaio, uma média de apenas 5,3 litros, sem dispor de sistema start/stop para o conseguir.

"Melhorias ao nível da dinâmica de condução são alcançadas através de uma evolução na suspensão e rácio da caixa de direcção modificado"

A extraordinária facilidade de condução, a ergonomia e a visibilidade para o exterior satisfazem, para uma posição de condução que, sendo confortável, oferece uma postura muito familiar, elevada e com ajuste em altura do banco.

Em relação à versão original, lançada em 2014, esta renovação distingue-se da anterior pelos novos pára-choques, grelha dianteira com iluminação diurna em led nas extremidades e um suave redesenho dos frisos laterais, com inclusão de piscas nos retrovisores.

"Na frente, o para-choques apresenta um novo design e luzes de circulação diurna circulares em LED, posicionadas nas extremidades da nova grelha em cascata. Há ainda novas jantes de liga leve de 14’’.

A traseira caracteriza-se por um para-choques de design mais evoluído, incluindo materiais mais refinados nas luzes traseiras e um novo detalhe em preto embutido, acompanhado por faróis de nevoeiro traseiros circulares"

Contudo, alterações mais importantes encontram-se no habitáculo, onde surge a possibilidade de ter ar condicionado automático, volante e bancos dianteiros aquecidos, mais equipamento multimédia e de conectividade, nomeadamente tecnologia de interligação com smartphones com sistemas Android e da Apple.

Pode também sistema de navegação e ecrã táctil de 7 polegadas, com oferta de 7 anos de serviços de trânsito, incluindo radares fixos e previsão de tempo.

"Funcionalidades de conectividade são disponibilizadas de forma integrada num sistema de navegação com ecrã táctil de 7’’. 

O Apple CarPlay e o Android Auto garantem a integração entre o veículo e utilizadores de dispositivos com sistema operativo IOS ou Android. 

Para que possa estar actualizado em qualquer momento, o sistema de navegação do Novo Hyundai i10 oferece subscrição de 7 anos dos Serviços LIVE, incluindo informações de trânsito em tempo real, condições de climatéricas locais e pontos de interesse bem como a localização de radares em países onde a lei o permite. É o único no seu segmento a oferecer estes serviços num único sistema infotainment"

No que diz respeito à segurança, passa a ter duas funcionalidades baseadas na nova câmara multifuncional: sistema de alerta de colisão frontal (FCWS) e o sistema de aviso de saída da faixa de rodagem (LDWS).

Utilizando os sensores frontais, o sistema FCWS alerta, acústica e visualmente, para o risco de colisão com outros veículos.

O LDWS emite um som que alerta na eventualidade deste efectuar algum movimento perigoso a uma velocidade acima de 60km/h, ultrapassando as linhas de marcação da faixa de rodagem.

Por valores a partir de pouco mais de 12 mil euros, com este motor 1.0 MPi de 3 cilindros, a gama inclui ainda um bloco de 4 cilindros de 1,2 litros com 87 cv. Neste caso, com possibilidade de poder ter caixa automática de quatro velocidades.

Em comercialização mantém-se também a versão GPL do motor 1.0 MPi.

No preço estão 5 anos de garantia da marca, sem limite de quilómetros, 5 anos de check-ups gratuitos e 5 anos de assistência em viagem.

Há descontos (VER A CAMPANHA) que aumentam caso se opte por financiamento bancário.

Preço e informações do Hyundai i10

Preços desde
desde 12.012 euros (Acess)
Motores
998 cc, 66 cv às 5500 rpm, 95 Nm às 3500
Prestações
156 km/h
Consumos (médio/estrada/cidade)
4,7/4,0/6,0
Emissões Poluentes (CO2)
108 gr/km

Sem comentários