APRESENTAÇÃO: Renault Clio Sport Tourer (MY 2013)

Em complemento do texto de apresentação do novo utilitário da marca francesa que se encontra AQUI, eis alguns dados sobre a variante carrinha do Clio. Dotado de uma identidade própria, o volume da bagageira é de 443 litros, extensível até aos 1380 com o banco traseiro rebatido. Com o encosto do assento do passageiro dianteiro completamente rebatido, o comprimento de carga a partir da porta da bagageira é de 2,48 metros. Esta funcionalidade confere à nova geração Clio Break um comprimento de carga “recorde”. A gama de motores é a mesma da berlina de cinco portas, significando isto a disponibilidade da mecânica de 3 cilindros a gasolina Energy TCe 90 e do motor diesel Energy dCi 90. A oferta de motorizações será completada com a chegada, ainda em 2013, da caixa de velocidades de dupla embraiagem EDC para o motor dCi 90. Disponível em Portugal no final de Março de 2013, o Clio Sport Tourer tem um preço de entrada a partir de 14.800€ (Energy TCe 90 Confort), enquanto a versão diesel de entrada de gama (1.5 dCi 90 Confort) poderá ser adquirida por 18.300€. Confira tudo isto, incluindo o preço de todas as versões, já a seguir.

Ao design dinâmico, o novo modelo acrescenta uma personalidade forte e de rara beleza, sobretudo quando encarado pela sua parte traseira.
O comprimento total é de 4,262 m, com a mesma distância entre eixos da berlina. 
Distingue-se do “5 portas” pelo acrescento traseiro, por possuir pegas das portas traseiras embutidas e pelo facto dos pilares mais recuados estarem como que “embutidos” no prolongamento dos vidros laterais. Os pilares centrais integrados na superfície vidrada conferem uma sensação de continuidade. 
O aileron por cima do vidro traseiro prolonga a linha da carroçaria e reforça a elegância do automóvel, tal como as barras no tejadilho ou, em opção, o tecto em vidro, que permite aumentar a luminosidade no habitáculo.
Com maior modularidade do que na berlina, esta break dirige-se aos clientes que procuram a funcionalidade, privilegiando a estética e a personalidade do automóvel. 
O resultado é sem dúvida bastante mais apelativo do que o da anterior geração (ler AQUI ensaio), onde o Clio conheceu, pela primeira vez, esta variante de carroçaria.

Preços das várias versões:


Habitáculo generoso em espaço


A bagageira oferece um volume de 443 dm3 é extensível até 1380 dm3, ou seja, mais mais 143 dm3 que na berlina, dos quais 85 dm3 sob o piso amovível. A funcionalidade estende-se a todo o habitáculo, com a possibilidade de rebater por completo das costas do banco do passageiro dianteiros possibilitar-lhe um comprimento de carga “recorde” na classe: 2,48m em todas as versões.
O acesso à bagageira é facilitado por uma altura de carga particularmente baixa (604 mm), pensada para permitir fazer deslizar os objectos, em vez de os levantar e depositar. A abertura, com uma altura de 685 mm (+ 133 mm) e uma largura máxima de 994 mm (+ 89 mm) permite carregar facilmente objectos de grande porte.
O Novo Clio Sport Tourer brilha, também, pelo número, dimensões e repartição dos arrumos interiores. Existem zonas para pequenos objectos junto à alavanca da caixa de velocidades, um grande porta-luvas com 7 litros (capaz de albergar uma garrafa de água de litro e meio), um espaço aberto por cima do porta-luvas com 1,2 l. destinado às chaves, ao portátil, ao comando de portão de garagem ou ao telemóvel.
Três porta-copos acessíveis, bem como um arrumo para pequenos objectos entre os bancos, junto à consola central e um outro no apoio de braços central (opção) e espaços desenhados para conter uma garrafa de água de 1,5 l. em cada painel de porta, são outras das zonas possíveis.
Atrás há mais 15 mm de espaço para a cabeça nos lugares traseiros em relação à berlina.

Mecânica dinâmica, segura e confortável

O Novo Renault Clio Sport Tourer Break aposta na qualidade e na sobriedade das motorizações.
Um novo motor de 3 cilindros a gasolina, - Energy TCe 90 - foi homologado para 4,5l/100 km e 104g de CO2/km. este revolucionário motor de 899 cm3 de cilindrada possui as mesmas performances de um bloco atmosférico de 1.4 litros. Com um turbo de baixa inércia, debita 90 cavalos e 135 Nm de binário às 2.000 rpm, 90% do qual está disponível entre as 1.650 e as 5.000 rpm.
O Renault Energy dCi 90 reivindica 3,2 l/100km e emite apenas 83g de CO2/km (valores homologados segundo regulamentação NEDC) na sua definição mais económica. Um conjunto de novas tecnologias da família Energy (sistema Stop & Start, EGR de baixa pressão e gestão térmica, etc…) contribuem para os recordes de consumo, num bloco com 90 cavalos e com um binário de 220 Nm disponível a partir das 1.750 rpm.
A caixa de velocidades de dupla embraiagem (Efficient Dual Clutch) irá ficar disponível no decorrer do ano associada ao motor dCi 90.

Para facilitar a condução existe auxílio ao arranque em declive na quase totalidade dos motores. Todas as versões dispõem de limitador-regulador de velocidade, do conjunto ESC (controle electrónico de estabilidade), ASR (anti-patinagem), ABS e EBA (ajuda à travagem de emergência) bem como da direcção eléctrica de assistência variável.
Para o conforto na utilização, todas as versões dispõem do cartão electrónico (sem chave), do volante regulável em altura e profundidade, dos espelhos retrovisores e vidros dianteiros de comando eléctrico e luzes de mudança de direcção com sistema "autoestrada".
Algumas versões dispõem de ar condicionado com filtro de pólen de carvão activo e sensor de toxicidade.
Mecânicamente, o eixo dianteiro do tipo pseudo-MacPherson, acoplado a um braço inferior em forma de triângulo rectângulo com dois pontos de filtração, concilia o comportamento em estrada com o conforto, graças ao desfasamento dos esforços longitudinais e transversais.
A forte rigidez transversal beneficia o comportamento em estrada, enquanto o poder de absorção dos impactos longitudinais favorece o conforto.
A isto junta-se um berço rígido para ajudar na inserção do eixo dianteiro e na precisão da direcção.
O eixo traseiro flexível de deformação programada acoplado a molas helicoidais. O perfil deformável integra uma barra estabilizadora e apoios da suspensão em poliuretano.
A direcção assistida eléctrica é muito directa, com somente 2,71 voltas.

Se lhe agradou este texto prossiga e contribua para nos ajudar: Configure AQUI o Renault Clio que deseja


Sem comentários:

Enviar um comentário

Enviar um comentário