Header Ads

APRESENTAÇÃO: Mercedes-Benz CLS Shooting Brake

Exclusivo e com um irresistível apelo dinâmico, com o CLS Shooting Brake a Mercedes-Benz volta a dar provas de uma enorme criatividade. Mas também de imensa ousadia, para um construtor por muitos ainda encarado como exclusivo e tradicional. Mas as suas últimas criações desmentem tudo isto e o CLS é apenas mais um exemplo da sua vontade de se destacar também na área do design, a par da qualidade daquilo que constrói. Em termos de configuração, o (a) novo CLS Shooting Brake oscila entre a silhueta do coupé, no entanto, o prolongamento da traseira e a existência de uma ampla quinta porta conferem-lhe faculdades equivalentes às de uma carrinha. Neste misto de formas nasceu uma versão com vontade independente e características próprias, baseada na série E da marca alemã. Leia a seguir todas as características e a tabela actualizada de preços.

Para perceber este carro, há que ir às origens da designação “Shooting Brake”.
“Brake” foi a designação dada às carruagens utilizadas para habituar cavalos selvagens e também para limitar (ou “travar”) os seus movimentos, de modo a que pudessem ser usados como animais de trabalho. Dada a robustez destes veículos, eles eram, muitas vezes, configurados para transportar tudo o que fosse necessário, por exemplo, para a caça.
Daí que, qualquer veículo que fosse utilizado para caça, fosse designado como “Shooting Break” ou “Shooting Brake”.
Nas décadas de 1960 e 1970, em Inglaterra, alguns automóveis, geralmente desportivos, com duas portas e silhueta de coupé, que combinavam algum luxo com um compartimento de carga mais espaçoso e uma porta traseira maior, receberam também esta designação.
Um dos carros mais famosos da altura, com estas características, foi sem dúvida o Volvo 1800ES (conceito anos mais tarde recriado no C30), embora algumas marcas inglesas ou carroçadores independentes tenham apresentado as suas próprias versões.



O CLS Shooting Brake

De regresso ao carro alemão, ele desde logo se destaca pelo capot longo, janelas estreitas com vidros laterais sem estrutura e um tejadilho que se inclina até à traseira, deixando de acompanhar a superfície vidrada lateral.
No essêncial, pretende ser uma versão inédita de um automóvel desportivo com cinco lugares e uma porta traseira de grandes dimensões. Isso permite-o diferenciá-lo da maioria, já que não compromete a funcionalidade e o espaço de carga do carácter desportivo de um modelo de eleição.
Este modelo vem ainda estabelecer características de padrões elevados no que toca à qualidade. Desde logo o extravagante mas também cativante fundo da bagageira em madeira de cerejeira, que contrasta elegantemente com todas as aplicações de alumínio ou madeira que o restante interior pode dispor. Sem esquecer a elegância simples mas igualmente impressiva dos revestimentos em pele do interior com costuras bem vincadas e evidenciando a qualidade do produto.
Na mala, além da carpete de qualidade e de mais material cosido à mão e incorporado nos revestimentos laterais, pode opcionalmente dispor calhas de carga em alumínio que trazem à memória o deck de um iate. 
À disposição do cliente existem cinco cores para o interior, cinco tipos de acabamento e ainda três qualidades de pele à escolha. Poderá ainda optar por três tipos de madeira - raiz de nogueira castanha de alto brilho, freixo preto de alto brilho e álamo castanho claro com acabamento acetinado – ou enveredar por um um aspecto menos clássico e mais moderno, graças a elementos de revestimento com aparência lacada e/ou em fibra de carbono da AMG. 

Uma nova dimensão de veículos

Com um volume de carga que varia entre os 590 e os 1550 litros, a bagageira oferece bastante espaço e, apesar das linhas desportivas e planas do tejadilho, é fácil de utilizar graças à abertura automática, de série, da porta traseira.
Com quase cinco metros de comprimento (4956 x 1881 x 1413 mm), o novo CLS Shooting Break dispõe de uma suspensão traseira pneumática (de série) para assegurar a melhor aderência à estrada em todas as ocasiões.
Como característica de série e para uma flexibilidade adicional, os encostos dos bancos traseiros podem ser rebatidos a partir da bagageira. Os próprios bancos traseiros oferecem espaço para três pessoas, com bancos individuais exteriores e um terceiro assento no meio. Os três apoios de cabeça, "tipo sela", nos bancos traseiros, praticamente não afectam a visibilidade para trás. Mesmo assim o condutor pode baixá-los com o simples toque de um botão na consola central.
Está também disponível uma rótula de atrelado opcional. 

Construção leve e aerodinâmica

A construção inteligente desempenha um papel decisivo para colmatar no CLS Shooting Brake o clássico conflito entre os objectivos de baixo peso e de elevada resistência.
O modelo apresenta portas totalmente em alumínio, sem estrutura, constituídas por painéis embutidos de alumínio. São, por isso, cerca de 24 kg mais leves do que portas de aço.
A porta traseira, o capot, os spoilers dianteiros, os diversos perfis de apoio e substanciais peças da suspensão e dos motores são outros dos elementos completamente fabricados em alumínio.
A aerodinâmica também contribui para a eficiência, sendo o valor Cd de somente 0,29.

Motorizações poderosas e eficientes

O CLS Shooting Brake está disponível em quatro variantes de motor: dois motores a Diesel e dois motores a gasolina.
Entre as características comuns a todos os motores estão a caixa automática de sete velocidades 7G TRONIC PLUS, bem como a função ECO start/stop.
Estão igualmente disponíveis dois modelos com tracção integral: o CLS 350 CDI 4MATIC BlueEFFICIENCY e o CLS 500 4MATIC BlueEFFICIENCY.
O modelo de entrada é o CLS 250 CDI BlueEFFICIENCY, que disponibiliza 204 cv. O consumo de combustível combinado é de 5,3 litros por 100 km, a que equivalem emissões de CO2 de 139 g/km.
Acima deste estão os dois modelos de seis cilindros: o CLS 350 CDI BlueEFFICIENCY, que gera 265 cv, e o CLS 350 BlueEFFICIENCY, com 306 cv.
O modelo topo de gama é o CLS 500 BlueEFFICIENCY com um motor V8 biturbo, que debita 408 cv.

Modelo
CLS 250 CDI
CLS 350 CDI
CLS 350 CDI 4MATIC
CLS 350
CLS 500
CLS 500 4MATIC
Cilindros/disposição 

4 em linha
V6
V6
V6
V8
V8
Cilindrada
[cc]
2143
2987
2987
3498
4633
4633
Potência
[kW/cv] a [rpm]
150/204 4200
195/265 3800
195/265 3800
225/306 6500
300/408 5000
300/408 5000
Binário nominal
[Nm] a [rpm]
500 1600/1800
620 1600/2400
620
1600/2400
370 3500/5250
600 1600/4750
600 1600/4750
Consumo combinado
[l/100 km]
5.3
6.0
6.6
7.3
9.2
9.8
CO2, combinado
[g/km]
139
159
174
169
214
229
Aceleração(0-100)
[s]
7.8
6.6
6.7
6.7
5.3
5.3
Velocidad máxima
[km/h]
235
250
250
250
250
250

Eficiência mecânica acrescida

A eficiência é igualmente aumentada pela direcção assistida electromecânica EPS (Electric Power Steering) de série.
EPS é uma estratégia radical na relação entre o condutor, o automóvel e a superfície da estrada. Isto porque, pela primeira vez, dá aos engenheiros a liberdade de escolher e programar muitos dos parâmetros que influenciam o feedback da direcção e assim definir uma sensação Mercedes-Benz atrás do volante. Para além da economia de combustível, o resultado consiste numa significativa melhoria no que toca a manobras e agilidade.
A direcção assistida electromecânica permite ainda implementar uma outra inovação – o Sistema de Estacionamento Activo. O CLS Shooting Brake é capaz não só de detectar espaços de estacionamento, mas também de estacionar automaticamente.

Iluminação Led activa

O CLS é ainda o primeiro automóvel de passageiros no mundo a oferecer, como opção, faróis dianteiros full LED dinâmicos de alto desempenho, que combinam os emocionantes elementos de cor da tecnologia LED – semelhantes aos das luzes de condução diurna – com o desempenho, a funcionalidade e a eficiência energética da actual geração bi-xénon. 
Com um total de 71 lâmpadas LED, os faróis dianteiros adquirem um aspecto impressionante e reforçam a inconfundível aparência do CLS.
Ao contrário dos primeiros veículos equipados com faróis dianteiros LED, isto nada compromete agora a funcionalidade ou o desempenho da tecnologia de iluminação. Além de ser possível dispor de Assistente Adaptativo de Luzes de Máximos, o que aumenta a qualidade da iluminação quando se conduz à noite, a vida útil média de um LED é de aproximadamente 10.000 horas, cerca de cinco vezes mais que uma luz xénon. Os faróis dianteiros LED são ainda os que mais se aproximam da cor da luz do dia, o que significa que a luz LED está de acordo com os padrões normais da percepção humana, pelo que o condutor beneficia de uma luminosidade significativamente maior na estrada à noite.

Incremento da segurança

Mais de uma dúzia de sistemas de assistência à condução ajudam a evitar acidentes de trânsito e a reduzir a gravidade de um acidente.
O Assistente Activo de Ângulo Morto e o Assistente Activo de Faixa de Rodagem estão disponíveis como parte do Pack Assistência à Condução Plus, em combinação com o DISTRONIC PLUS, o BAS PLUS e a travagem PRE -SAFE®.
Ambos os sistemas de assistência são não só capazes de detectar uma mudança de faixa involuntária ou veículos no ângulo morto, mas também de corrigir o sentido da circulação através de uma intervenção de travagem suave, caso o condutor ignore os avisos de perigo visuais ou sonoros.

Procura automóvel novo, usado ou acessórios? Quer saber mais sobre este ou sobre outro veículo?

Sem comentários