Header Ads

Sonangol Africa Eco Race 2013 chegou ao fim

Terminou mais uma edição da corrida africana, outra vez ganha por Jean Louis Schlesser. Sem surpresa, o piloto francês impôs de novo o seu “buggy”, com motor Renault, nas escaldantes areias do norte de África e chegou a Dakar, pela quinta vez em cinco edições da prova, no primeiro lugar. Quanto aos portugueses, Elisabete Jacinto terminou em terceiro na categoria dos camiões e o seu Man foi sétimo na geral e a dupla Paulo Rui Ferreira/Jorge Monteiro levaram a Nissan Navara Off Road ao 17.º posto da classificação conjunta carro/camião. No final do texto assista a vídeos da prova.

Participante desde a sua primeira edição, ainda não foi desta que Elisabete Jacinto conseguiu o lugar mais alto do pódio.
Na edição deste ano, a piloto portuguesa até ganhou duas etapas da categoria camiões e, à partida, as ambições eram legitimamente maiores depois dos dois segundos lugares em edições anteriores. Apesar de tudo, Elisabete Jacinto ficou satisfeita com o lugar mais baixo do pódio: “Estamos muito contentes com os resultados que alcançámos. Eles espelham todo o trabalho que temos desenvolvido ao longo de anos de dedicação. Regressamos a Portugal com o sentido de dever cumprido. Vencemos duas especiais muito complicadas, ficámos no pódio dos camiões e conseguimos figurar entre os 10 primeiros da classificação geral. O balanço não podia ser mais positivo.”
A fechar a participação deste ano, na mítica etapa de apenas 24 quilómetros corrida junto às margens do Lago Rosa, em Dacar, o Team Oleoban/MAN Portugal ficou na 2ª posição dos camiões.

Chegar ao fim já é um prémio

Quem também conseguiu chegar ao Dakar, o que já por si é uma vitória face à dureza da maratona africana, foram os pilotos de Leiria Paulo Rui Ferreira e Jorge Monteiro.
Na sua primeira participação na Africa Eco Race, o PRF Racing Team terminou esta competição no 13º lugar entre os automóveis e em 17º lugar da classificação geral conjunta.
Depois de ter conseguido alcançar dois terceiros lugares à geral em duas das etapas do Sonangol África Eco Race, os pilotos portugueses da Nissan Navara Off Road fizeram o terceiro melhor tempo nos últimos 24 km junto ao Lago Rosa, com apenas mais 22 segundos do que Schelesser: “O troço do Lago Rosa é uma clássica. Foi com um prazer especial que disputámos os quilómetros desta classificativa, que embora curta, nos proporcionou muito divertimento. Acho que conseguimos fechar com chave de ouro. A nossa missão foi cumprida e o propósito de chegar a Dakar totalmente atingido”, referiu Paulo Rui Ferreira.

O que é o África Eco Race?

Trata-se de um rali maratona internacional criado pela vontade de diversos países africanos depois da passagem do clássico “Dakar” para terras sul-americanas.
Dando especial atenção às questões de segurança e ao desenvolvimento sustentável, além da vertente desportiva, a competição dá assim especial ênfase à consciência e à responsabilidade ambiental. Os acampamentos são escolhidos longe das cidades e terminais de aeroportos, os concorrentes encontram-se em pleno deserto, longe de tudo e entregues a si próprios. Tudo isto para estimular a ajuda mútua, solidariedade e convívio entre os participantes, como, aliás, ficou bem patente quando o camião de Elisabete Jacinto tombou e o concorrente que a sucedia parou para a ajudar a prosseguir e ganhar essa etapa.
Destinado a amadores e a profissionais, as 11 etapas, com um total de mais de 6500 km, atravessam os territórios de Marrocos, Mauritânia e Senegal.
Mas a verdade é que, tratando-se de uma prova africana, mais a mais apoiada por uma gasolineira angolana, não se vê um único concorrente africano em qualquer das categorias em competição: motas, carros ou camiões.



Procura automóvel novo, usado ou acessórios? Quer saber mais sobre este ou sobre outro veículo?

Sem comentários