Header Ads

APRESENTAÇÃO: VW Kombi “Last Edition”

A continuar assim, parece que a VW Kombi, entre nós mais conhecida como “Pão de Forma”, nunca mais deixará de ser produzida! Mesmo apesar do preço algo elevado da última versão deste modelo que actualmente ainda é fabricado no Brasil. Tudo porque, para atender à elevada procura da série especial de despedida, a Volkswagen resolveu ampliar o volume de produção de 600 para 1.200 unidades. Montada no Brasil a partir de 1953 e produzida oficialmente pela VW a partir de 1957, ainda hoje é uma das mais vendidas do seu segmento. Contudo, a nova legislação obriga ao fim da sua produção a partir de 2014, pelo que a VW Brasil decidiu produzir a Kombi Last Edition recheada de argumentos que justificam não apenas o seu elevado preço, como certamente farão as delícias dos fãs e coleccionadores de um carro mítico que já faz parte da história do automóvel.

Por falar em história, a deste carro começou quando a necessidade de transporte de mercadorias na Alemanha do pós-guerra levou à construção de um veículo rústico sobre o chassis do popular “carocha” (ler AQUI a história deste modelo e a do seu criador). No entanto, a pouca resistência da plataforma original obrigou à concepção de uma nova, embora muita da sua mecânica fosse partilhada com o VW nascido durante a guerra.
A rápida aceitação do modelo e a explosão de popularidade que conheceu nos anos 60, que a leva ainda hoje a ser associada, por exemplo, ao movimento “hippie”, fazem com que, passados mais de 60 anos, continue a ser um carro desejado por todas as idades e estratos sociais.
Grande parte da sua popularidade é devida não só à fiabilidade e simplicidade mecânica, como a uma extraordinária versatilidade interior. Isso contribuiu para fazer da VW Pão de Forma um veículo de lazer bastante popular (por exemplo nas versões orientadas para o campismo), mas ser também bastante utilizado para frotas da Polícia, como ambulância, veículo de bombeiros ou de serviços de intervenção rápida, por exemplo.
E como objectos de culto em que se tornaram, quem tem uma pode agora restaurá-la na casa onde “nasceu”. Com certificado de autenticidade e tudo! Em 2012 a Volkswagen anunciou a criação de uma “linha de restauro” dos modelos originais, num novo complexo situado na sua fábrica em Hannover, exactamente onde foram construídos os primeiros modelos. (leia AQUI a notícia e descubra muitas imagens deste modelo)

“Last edition”, a derradeira versão da Kombi

É evidente que, do modelo original, actualmente sobra pouco mais do que a silhueta e o conceito. Para começar utiliza um motor 1.4 refrigerado a água (daí a presença de uma grelha dianteira para o radiador) que funciona a gasolina ou etanol e debita 78 cv no primeiro caso, 80 cv no segundo. A caixa é manual de 4 velocidades, tem travões de disco dianteiro e mantém de tambor no eixo traseiro. Capaz de uma velocidade máxima de 130 km/k, é vendido com carroçaria furgão de 3 lugares ou de passageiros com 9 lugares.
A versão Kombi “Last Edition”, vendida no Brasil por cerca de 85 mil reais (contra os cerca de 48 mil da versão “standard”), acrescenta vários elementos típicos de uma série especial.
Exteriormente a pintura é em dois tons, com a carroçaria em azul e o tecto, colunas e pára-choques em branco. Uma faixa decorativa, também branca, percorre todo o veículo abaixo da linha de cintura, e na mesma cor são pintadas as jantes, combinadas com pneus com as clássicas faixas brancas dos automóveis dos anos 40 e 50. A grelha dianteira é realçada por um tom mais escuro, enquanto logotipos "56 anos - Kombi Last Edition" identificam a versão lateralmente e na traseira.
No interior surgem nostálgicas cortinas em tecido azul nas janelas laterais e no vidro traseiro, presas por braçadeiras que trazem o logotipo “Kombi” bordado e que sugerem um elemento de decoração típico das versões mais luxuosas das décadas de 1960 e 1970. Os bancos forrados em vinil possuem detalhes em azul e branco nos encostos e cinza nas laterais e na parte de trás. Este vinil azulado, com costuras decorativas, está ainda presente no revestimento interno das partes laterais, incluindo portas e porta-malas. A carpete e os tapetes de cobertura do piso interior, do porta-malas e do pneu suplente são também exclusivos da versão.
No painel de bordo, uma placa numerada de alumínio escovado identifica esta série especial. Com um estilo assumidamente “vintage” o quadro de instrumentos possui, ainda assim, um pequeno painel digital que acompanha o toque de modernidade do sistema de som com visor em led e entradas auxiliares incluindo por USB.
E para atestar a exclusividade desta versão, o manual do proprietário é envolto numa capa comemorativa que guarda também um certificado que confirma a sua autenticidade.
Apesar de continuar a ser um sucesso no Brasil, a Kombi deixará de ser produzida devido à nova legislação que entra em vigor a partir de 2014 e que prevê a obrigatoriedade do uso de travões ABS e de airbag duplo em todos os veículos.
Mais imagens do modelo podem ser vistas AQUI, na página do facebook de Cockpit Automóvel.

-->

Sem comentários