Header Ads

APRESENTAÇÃO: Renault Espace (MY 2015)

- Monovolume com estilo crossover, disponível em versões de cinco ou sete lugares

- Primeiro Renault a utilizar a plataforma modular "CMF"

- Interior com ecrã táctil vertical para comandar diversas funções do veículo

- Motor 1.6 dCi com 130 cv ou 160 cv. Chega em Maio de 2015 com preços a partir de 42.040 euros


A Renault “inventou” o grande monovolume com o Espace. Anos mais tarde fez o mesmo com a Scénic, neste caso para o segmento médio.

Com a nova Espace, a Renault quer recriar o conceito em 2015 e, finalmente, substituir uma base nascida em 2002.

Como os monovolumes “tradicionais” de maior volume têm perdido mercado para os SUV e crossovers, a Renault quer ressuscitar a “Espace” reunindo o melhor dos dois conceitos. E, se isso provoca o primeiro olhar de estranheza, há que reconhecê-lo, o desafio é tão grande quanto o foi o lançamento da primeira geração.

Com os (bons) resultados que se conhecem.

Mais leve e aerodinâmico


A Renault Espace de 2015 está 250 kg mais leve. Tudo graças à nova plataforma e à utilização de alumínio na fabricação de portas, bem como recurso a novos materiais compósitos nos revestimentos interiores.

Apresenta como dimensões 4,85 metros de comprimento na configuração de 5 ou 7 lugares, 1,87 metros de largura e 1,68 m de altura (menos 63 mm do que o Renault Espace actual). Em comparação com a geração anterior, o novo modelo tem mais 16 mm de distância entre-eixos (2,88 m).

O resultado aerodinâmico é um Cx de 0,30 e SCx de 0,845 m2.

Mas ao abandonar a silhueta clássica, a Espace ganhou principalmente uma aparência mais robusta e moderna.

Preços em Portugal da Renault Espace 2015


- Energy dCi 130 Zen: 42.040 euros
- Energy dCi 160 Twin Turbo EDC Zen: 44.540 euros
- Energy dCi 160 Twin Turbo EDC Initiale Paris: 51.940 euros


Na frente, o design de logotipo bordado na grelha dianteira acompanha uma assinatura luminosa em led que deixa adivinhar tendências dos futuros modelos da marca. O conjunto óptico full LED melhora a intensidade e o feixe de luz até 20%.

Lateralmente, as cavas das rodas alojam pneus de até 20 polegadas para acrescentar “músculo” ao conjunto. Já a elegância fica a cargo dos contornos cromados das janelas laterais e do volumoso tejadilho solar com 2,8 m2, que pode ser opcionalmente equipado com abertura nos bancos da frente.

Motores e quatro rodas direccionais


Estão previstos dois motores a gasóleo, ambos 1.6 dCi com 130 cv (320 Nm de binário às 1750 rpm) e 160 cv (380 Nm às 1.750 rpm) e uma unidade a gasolina de TCe de 200 cv (260 Nm de 2.500rpm), que não deverá despertar qualquer interesse no mercado português.

Todos os motores são sobrealimentado por um turbocompressor, excepto a versão de 160 cv que tem dois.

As versões mais potentes de 160 e 200 cv estão associadas a uma transmissão automática de dupla embraiagem de 6 e 7 velocidades, respetivamente. A caixa "EDC Shift-by-Wire" usa tecnologia de F1 que permite trocar de velocidade (através de patilhas no volante) sem uma conexão física entre a alavanca e a caixa de velocidades. A unidade 1.6 dCI de 130 cv vem acoplado a uma caixa manual de 6 velocidades.

Todos os motores têm com Start & Stop de série.

Dispõe de sistema de direcção às quatro rodas "4Control" também utilizado pelo Renault Laguna.

Esta tecnologia permite às rodas traseiras rodarem no mesmo sentido ou na direcção oposta às rodas dianteiras. A baixa velocidade serve para melhorar a capacidade de manobra, em estrada ou em velocidades mais elevadas aumenta a estabilidade em curva.

A suspensão pode ter amortecimento variável.

Quatro modos de condução seleccionáveis - "Eco", "Comfort", “Normal” e "Sport" – possibilitam alterar a resposta do acelerador, a dureza da suspensão, a assistência da direcção, o sistema de calibração “4Control” e, se for o caso, a resposta da caixa de transmissão automática.

Existe também a possibilidade de personalizar cada um destes parâmetros (“Perso”), com configurações específicas, incluindo o tom da iluminação (verde, azul, amarelo, vermelho ou roxo).

Habitáculo: misto de tecnologia e conforto


O interior futurista é marcado pelo ecrã vertical de 8,7’’ com sistema multimédia "R-Link" de segunda geração.

Através dele podem ser controlados diversos elementos, incluindo um computador multimédia com browser e acesso à loja de aplicativos Renault. Podem ainda ser visualizados e ajustados os modos de condução, bem como efectuados os acertos eléctricos dos bancos.

O painel de instrumentos é uma tela TFT e tem um sistema de "Head Up Display" para projectar informações de condução numa folha de plástico translúcida.

Os bancos dianteiros podem ter ajustes eléctricos e a segunda e a terceira fila dobradas ou removidas para aumentar o volume de carga, que pode estender-se até aos 2040 litros. Na configuração de cinco lugares, a bagageira tem 660 litros de capacidade.

A operação de dobragem pode ser efectuada automaticamente através de um comando presente no ecrã táctil ou de forma mais convencional pressionando um botão no lado de cada assento. Existem inúmeros espaços interiores à disposição dos passageiros e o porta-luvas acrescenta 12 litros de capacidade.

O portão traseiro abre-se automaticamente à passagem de um pé sob o pára-choque e os faróis são integralmente em Led.

Dependendo dos níveis de equipamento, o Renault Espace de 2015 pode dispor de 3 níveis de acabamento: "Vida", "Zen" e "Initiale Paris".

Desde o nível mais baixo de equipamento, de série o Renault Espace 2015 inclui a iluminação frontal, traseira e lateral integralmente em Led e pára-brisas panorâmico.

Sem comentários