Header Ads

A jornada de um Opel Corsa GT que viajou do Porto para brilhar em Frankfurt


Esta é a história de um Opel Corsa GT que viajou do Porto a Frankfurt para ganhar uma nova vida e uma nova nacionalidade na matrícula.

Uma história documentada com imagens que revelam a jornada de um carro, esquecido numa garagem, que viajou 2700 quilómetros em estrada, de Portugal à Alemanha, para brilhar ao lado dos seus irmãos mais novos.

Parando no caminho, em Saragoça, Espanha, para visitar a fábrica que o viu nascer.

Uma vez na Alemanha, depois de comprovado o seu bom estado de funcionamento, recebeu uma profunda remodelação para lhe devolver o brilho e a originalidade com que saiu da fábrica há 32 anos.

Recebeu também a cidadania alemã, depois de passar com brio na inspecção que lhe garantiu a matrícula e o direito a figurar no Museu da centenária marca alemã.

O que tem este Corsa de tão especial?


O Opel Corsa GT descoberto esquecido numa garagem na baixa do Porto é um raro exemplar de 1987.

Esta versão GT foi produzida entre abril de 1985 e o outono de 1987.

O motor 1.3 a gasolina, ainda de carburador, com 70 cavalos e caixa manual de cinco velocidades, além da maior potência, contém discretos apêndices aerodinâmicos, jantes de liga leve e bancos desportivos.

Ainda hoje é um dos modelos que mais faz a delícia dos menos abonados mas apaixonados por pequenos desportivos da época, a par de versões mais desportivas do AX, 106, Clio, Fiesta, Polo...

Na sua altura um "desportivo" de eleição para muitos, tal como o seu sucessor, o mais potente GSi, em 1988.


Trinta e dois anos depois, o seu comportamento constituiu uma surpresa ao cumprir, sem problemas,  a viagem de 2700 quilómetros entre o Porto e a sede da Opel em Rüsselsheim, próximo de Frankfurt, Alemanha.

Sem manifestar esforço e surpreendendo pela suavidade, a suspensão comportou-se bem e a direcção mostrou-se sem folgas.

As indicações dos manómetros de temperatura e de pressão de óleo descansaram os condutores ao longo de tão extensa jornada.

O consumo foi outra surpresa, raramente ultrapassando os seis litros, em parte devido ao peso reduzido do Corsa GT: apenas 750 kg, o que lhe permite uma relação peso/potência de apenas 10,7 kg por cavalo.

Como o Corsa GT foi restaurado  

Os trabalhos de restauro do Opel Corsa GT com matrícula originalmente portuguesa tinham como objectivo expô-lo com toda a dignidade no Salão Automóvel de Frankfurt de 2019, ao lado dos exemplares da 6.ª geração, que se estrearam no evento.

Mas logo à chegada à Alemanha e ainda antes de ser alvo do restauro, o Corsa GT faz uma passagem pela TÜV para a inspecção obrigatória, necessária para a atribuição de registo alemão, passando o exame com distinção.

Na oficina do Opel Classic são descobertas algumas imperfeições, como marcas no tejadilho, logótipos não originais, vidros riscados e estofos demasiado coçados.


E, peça a peça, a equipa reconstruiu o Corsa, primeiro o motor, seguindo-se a suspensão.

O “Projeto IAA 2019”, sob a orientação de Thorsten Götz e Dieter Eder, especialistas da Opel em automóveis clássicos, recebeu depois nova pintura e os logótipos GT correctos.

Com jantes originais, vidros e janelas novas, o Corsa GT adquirido em Portugal rumou depois, em grande estilo, para o Salão Internacional do Automóvel de Frankfurt.
















Sem comentários