Header Ads

APRESENTAÇÃO: Renault Fluence (MY 2013). Versão Táxi a partir de 19.950 euros.

Adopta a nova identidade de design da Renault, com um estilo mais moderno e convincente graças a uma presença mais evidente do símbolo da marca e da iluminação Led diurna. O Fluence integra ainda um conjunto de tecnologias ao serviço do conforto e de ajuda ao condutor: o Renault R-Link, o cartão mãos-livres ou o travão de parqueamento automático. Quanto a motores registe-se a estreia do diesel 1.6 com 130 cv, o motor mais potente da sua categoria. A par deste está disponível o 1.5 dCi com 90 ou 110 cv. Comercializado a partir de 24.500 euros, o preço do 1.6 dCi é de 29.250 euros. Existe ainda uma versão Táxi, disponibilizada por apenas 19.950 euros. Ver no final o preço de todas as versões disponíveis.


Portador da nova identidade de design da Renault, o logótipo posicionado verticalmente sobre um fundo negro confere ao automóvel uma percepção de maior dinamismo, sobretudo se equipado com as jantes de 17 polegadas (em opção) específicas do modelo. Os faróis de dia de leds e as inserções de cromados e de preto brilhante dão-lhe um visual mais moderno.
A gama de motores diesel é enriquecida com o novo motor dCi 130, unanimemente reconhecido pelos seus desempenhos. Este motor 1.6 é o motor diesel mais potente da sua categoria e regista um nível de consumos de apenas 4.6 l/100 km e emissões de CO2 de 119 g /km.
Assentando na plataforma do Mégane, o modelo que conquistou o melhor resultado alguma vez obtido nos testes de segurança da Euro NCAP, o Fluence mede mais 320 mm de comprimento que o Mégane Berlina e mais 55 mm que o Mégane Sport Tourer.
E, a exemplo da restante gama Renault, este modelo é abrangido pelos 5 anos ou 150.000 quilómetros de Garantia contratual.

Fluence em contacto com o Mundo

No habitáculo, pelo conforto e pelo espaço o Fluence é um automóvel familiar, por excelência. Com materiais e acabamentos de qualidade, o nível de equipamento integra um conjunto de tecnologias de conforto e de ajuda à condução: cartão mãos-livres com fecho à distância, sistema de ajuda ao estacionamento dianteiro e traseiro, travão de parqueamento automático e novos rádios, todos equipados com sistema Bluetooth® e entradas USB e Jack.
Além disto, possui ainda regulador-limitador de velocidade, retrovisores exteriores rebatíveis electricamente, sensores de chuva e luminosidade e o ar condicionado automático “bi-zone” e muitos outros itens que integram o equipamento de série.
Propõe também uma inovação ao nível das tecnologias de ligação entre o automóvel e o mundo exterior: o sistema multimédia R- Link.
Disponível de série nos dois níveis de equipamento comercializados em Portugal - Dynamique e Exclusive -, trata-se de um tablet multimédia integrado e conectado.Ligado à internet e com uma utilização adaptada à condução com um ecrã táctil e reconhecimento vocal, o Renault R-Link agrupa as funções de navegação, telefone, rádio com ligação para aparelhos portáteis de reprodução de música.
Além da navegação com assinatura Tom Tom, o R-Link permite ver fotos e vídeos, ouvir música, consultar o email, navegar nas redes sociais, fazer estudos comparativos dos consumos, consultar as previsões meteorológicas, as condições de tráfego em tempo real e muitas outras funções. Tudo isto através de um ecrã táctil de 7 polegadas (18 centímetros), com uma ergonomia simples e intuitiva e que até responde aos comandos por voz. 
Logo após o lançamento, estará disponível o acesso à R-Link Store, que é um vasto catálogo de aplicações pensadas para o automóvel e que podem ser descarregadas como num smartphone.
Associado ao R-Link, o sistema R-Plug & Radio com o 3D Sound by Arkamys, a tecnologia Bluetooth®, bem como as entradas USB ou Jack para ligar aparelhos portáteis.



Solução diesel 1.5 dCi conhecida e estreia do potente motor 1.6 dCi

Os comprovados motores 1.5 dCi 90 e 1.5 dCi 110, presentes na anterior geração (ver AQUI ensaio) aliam reduzidos consumos – apenas 4,4 l/100 km em ciclo misto – ao prazer de condução.
A grande novidade é a estreia do motor 1.6 dCi.
Com 130 cv para uma cilindrada de 1.598 cm3, o binário de 320 Nm está disponível, a 80%, a partir das 1500 rpm. Com uma faixa de utilização alongada, importante num motor diesel, o Energy dCi 130 sobe facilmente até às 4.000 rpm.
Graças às múltiplas inovações tecnológicas, ao consumo de 4,6 l/100 km em ciclo misto e às emissões de apenas 119 g de CO2/km, o motor Energy dCi 130 é, claramente, o mais potente e o mais económico da categoria. Até pelo facto de ser equipado com uma corrente de distribuição vitalícia e sem manutenção, que contribui, ainda mais, para a redução dos custos de utilização do Novo Fluence.
Este motor beneficia da experiência da Renault na Fórmula 1 e integra um importante conjunto de inovações tecnológicas: sistema de recirculação dos gases de escape em ciclo frio (EGR Baixa Pressão), tecnologia de thermomanagement, bomba de óleo de cilindrada variável tecnologia do swirl variável e sistema de multi-injecção que permite optimizar a regeneração do filtro de partículas.
Referência, ainda, para a estreia, no modelo, da caixa de dupla embraiagem EDC (Efficient Dual Clutch). Uma caixa que alia o conforto, o prazer de condução, a economia e o respeito pelo ambiente e que, em relação às tradicionais caixas automáticas, reivindica consumos e emissões significativamente inferiores.

Se lhe agradou este texto prossiga e contribua para nos ajudar:

Preços de todas as versões e do equipamento principal




-->

Sem comentários