Header Ads

APRESENTAÇÃO: Opel Monza Concept

Com este protótipo que a Opel irá levar ao Salão de Frankfurt, a marca revela o que irá ser a próxima geração de automóveis do construtor e dá pistas sobre o seu futuro. Alia linhas atraentes a tecnologia inédita, focando-se nos temas que vão orientar o desenvolvimento da próxima geração de modelos da Opel: máxima conectividade e eficiência optimizada. A conectividade é demonstrada através de uma inovadora tecnologia LED de projecção de informação, tanto para os instrumentos como para os sistemas de informação e entretenimento. Do lado da eficiência, encontra-se o desenho de baixo peso e a optimização da utilização de espaço no habitáculo, mas também tecnologia avançada de propulsão que inclui unidades eléctricas.


A designação Monza já tinha sido utilizada pela Opel no Salão de Frankfurt de 1977, para dar nome a um coupé de dimensões apreciáveis e equipado com um suavíssimo motor de seis cilindros. De protótipo, esse Monza passou à produção e manteve-se no mercado até 1986, ganhando lugar no círculo da elite de automóveis emblemáticos.
Trinta e seis anos volvidos, o “Monza Concept” mostra semelhante ambição. Na secção dianteira destaca-se o capot com vinco central e guarda-lamas salientes. A grelha, que possui uma elegante barra cromada que suporta o logótipo da Opel, está ladeada por grandes entradas de ar estilizadas com o formato de “boomerang”.
Automóvel de quatro lugares com 4,69 metros, o Monza Concept revela uma linha de tejadilho especialmente sofisticada, ao cobrir o habitáculo de forma arqueada tradicional, mas recuperando ligeiramente altura quando se aproxima da secção traseira.
Apesar da aparência dinâmica e de uma silhueta baixa que mede apenas 1,31 metros, o espaço não sai penalizado. A bagageira oferece 500 litros de capacidade e todos os ocupantes usufruem de altura mais que suficiente até ao tejadilho, já que a estrutura do habitáculo é, toda ela, cerca de 15 centímetros mais baixa do que a de modelos convencionais.
As grandes portas com abertura para cima, em compasso, proporcionam máxima funcionalidade e permitem enormes aberturas de acesso ao habitáculo, graças ainda à ausência de pilares centrais (B).

Ligado à mobilidade do futuro

Sentado ao volante, o condutor tem à sua frente um mundo completamente novo no que diz respeito a instrumentos ou a sistemas de informação e entretenimento.
Registe-se que o Monza original também estava muitos anos à frente do seu tempo, apresentando um inédito painel de instrumentos digital.
O Monza Concept inova com tecnologia avançada de projecção LED. O tablier deixa de ser composto por ecrãs separados que mostram diferente informação. Em vez disso, o condutor tem à sua frente um bloco de linhas envolventes, que vai de porta a porta e é utilizado como uma superfície única de projecção.
Informação e elementos decorativos são apresentados nesta superfície, com elevado grau de personalização. O sistema recorre a um total de 18 projectores LED que formam um ecrã multifuncional contínuo.
O grafismo 3D dá todas as informações de forma precisa, desde as que estão relacionadas com o automóvel até à Internet e opções de comunicação. O formato dos mostradores e do fundo pode ser configurado a gosto. Todos os comandos são efectuados através de voz ou de teclas no volante.
Mas os detalhes sobre o funcionamento do automóvel, a navegação e as informações de ligação do smartphone só surgem quando é necessário ou solicitado. Assim, o condutor pode aceder a uma vasta gama de informações sem ser sobrecarregado com textos ou imagens.
Isto faz do ‘Monza Concept’ um modelo para o futuro dos sistemas HMI (Human-Machine Interface).

Conceito modular aceita diversidade de motorizações

O Opel Monza Concept assenta na crescente tendência de “electrificação” do automóvel na perspectiva da utilização diária.
Baseado num desenho modular para permitir lançar mão de múltiplas soluções de motorização, incluindo uma variedade de sistemas de propulsão sustentável assentes em tracção eléctrica.
O Monza Concept exibido em Frankfurt utiliza uma configuração de tracção eléctrica com extensão de autonomia alimentada por gás natural comprimido.
Isto marca um novo desenvolvimento da tecnologia pioneira do modelo eléctrico Opel Ampera.
O novo tricilíndrico 1.0 SIDI Turbo, que pertence à nova geração de motores da Opel (também em estreia no Salão de Frankfurt), assume o papel de extensor de autonomia. Mas fá-lo recorrendo ao gás natural, de modo a reduzir ainda mais a pegada de CO2 do automóvel.


-->

Sem comentários