Header Ads

Desafio Renault no circuito do Estoril: 3 dias a rodar sem parar!

Entre 31 de Janeiro e 3 de Fevereiro cinco Renault Clio, Captur e Mégane vão rodar 72 horas seguidas na pista do Estoril, parando apenas reabastecer, trocar de pilotos e de pneus. Tal e qual como numa prova de resistência, a diferença é que estamos a falar de carros “de série” conduzidos por pilotos “comuns” ao longo de 3 dias seguidos! Nesta acção nunca antes realizada em Portugal, a iniciativa da Renault Portugal é aberta aos membros das redes sociais que têm apenas que se inscrever através da sua página no Facebook: www.facebook.com/RenaultPortugal. E por cada uma das voltas dadas ao circuito ao longo dos 4.320 minutos ininterruptos da iniciativa, um euro vai ser doado à Operação Nariz Vermelho.

Trinta e seis anos depois da vitória nas 24 Horas de Le Mans, a Renault quer voltar a fazer história em matéria de endurance. A diferença é que em vez de 24 horas, o desafio é cumprir 72 horas ininterruptas, não em Le Mans, mas no Circuito do Estoril. E logo com cinco automóveis distintos: Renault Clio TCe 90, Renault Clio Sport Tourer dCi 90 EDC, Renault Captur 1.5 dCi 90, Renault Mégane Sport Tourer dCi 110 e Renault Mégane Coupé 1.6 dCi 130. Estas versões de três modelos representaram 11.290 das 16.016 unidades vendidas pela Renault em 2013 e englobam quatro diferentes motores: TCe 90, 1.5 dCi 90, 1.5 dCi 110 e 1.6 dCi 130.
O objectivo da Renault é claro: colocar à prova a qualidade e a fiabilidade dos seus carros. Pelo que, ao longo dos três dias, cinco Renault vão rodar e parar apenas para reabastecer, mudar de condutor, ou trocar de pneus. Já que, tendo em conta a exigência do traçado do Estoril, a Michelin – parceiro técnico da acção – prevê a necessidade dessa substituição.
Uma acção que também tem uma vertente de responsabilidade social. Por cada volta realizada pelas cinco viaturas, a Operação Nariz Vermelho vai receber um euro. A Instituição Particular de Solidariedade Social é responsável por um programa de intervenção dentro dos serviços pediátricos dos hospitais portugueses, através da visita de palhaços profissionais.
Apesar de uma equipa constituída por “vulgares” condutores (com diferentes experiências e idades) estar nomeada para conduzir ao longo das 72 horas, a Renault Portugal vai abrir a iniciativa aos membros das redes sociais, para que também eles possam efectuar turnos de condução no Circuito do Estoril. Mais informações em www.facebook.com/RenaultPortugal .

Experiência mais exigente do que “Le Mans” ou Dakar

Excepção feita à segurança, a pista do Estoril representa dificuldades acrescidas comparativamente a uma “vulgar” estrada: os ritmos vão ser mais elevados (igual a quilometragens superiores), as travagens vão ser mais intensas e prolongadas, as temperaturas de funcionamento dos órgãos mecânicos vão ser mais elevadas e até as suspensões vão ser sujeitas a cargas maiores.
Dada a exigência da prova e do traçado do circuito, a Michelin, parceira técnica do evento, prevê a necessidade de substituí-los durante as 72 horas. Os cinco modelos envolvidos vão estar equipados com pneus MICHELIN Energy Saver + e MICHELIN Primacy 3, escolhidos para defrontar este desafio pelas suas prestações únicas que conjugam segurança, duração e poupança de combustível.
Apesar de várias condicionantes (como as condições atmosféricas) poderem não confirmar as previsões, tudo aponta para que, no final das "72 Horas Non-Stop Renault", cada viatura tenha percorrido mais de 5.000 quilómetros. Esta é a distância de provas como as 24 Horas de Le Mans e o Dakar. Mas uma vez que os 5.000 quilómetros vão ser percorridos de forma ininterrupta, em apenas três dias, numa pista exigente e com condutores com idades e perfis de condução distintos, a distância vai equivaler a dezenas de milhares de quilómetros percorridos e a vários anos de utilização quotidiana.
No final das "72 Horas Non-Stop Renault", a Renault Portugal vai disponibilizar à imprensa as cinco viaturas que participaram na acção, com o objectivo de serem sujeitas a peritagens técnicas independentes.

-->

Sem comentários