Header Ads

APRESENTAÇÃO: Kia Carens (MY 2014)

- Assume-se como um "crossover com design", dispõe de sete lugares e é classe 1 nas portagens
- É vendido apenas com o motor diesel 1.7 ISG de 136 CV, com caixa de 6 velocidades manual ou automática
- É ligeiramente menor do que o modelo que substitui: 20 mm mais curto, 15 mm mais estreito e 45 milímetros mais baixo
- Graças a um aumento de 50 mm de distância entre eixos e ao facto dos bancos posicionarem-se mais baixos, a habitabilidade melhorou substancialmente
- A altura total de 1.605 milímetros é uma das mais baixas na classe, sendo inclusive 5 milímetros menor do que a do Soul
- A fila central é composta por três assentos individuais com função deslizante
- Os dois assentos adicionais rebatem muito facilmente e permitem uma mala com piso plano
- Preço de campanha: 26.582 euros na versão mais elevada de equipamento

Inteiramente novo, o Carens é ligeiramente menor do que o modelo que substitui, apesar de ter maior distância entre eixos. Compacto, nos 4,52 metros de comprimento cabem cinco ou sete lugares, dois dos quais permanecem facilmente rebatíveis na zona da mala.
Em vantagem face à geração anterior que era vendida com um motor diesel de 2,0 litros, a actual dispõe de uma unidade diesel 1.7 CRDi com 136 cv.
Esta é a estrutura de preços incluindo o desconto promocional e o valor dos opcionais. Para as empresas acrescenta a vantagem fiscal de ser vendida por menos de 25 mil euros, daqui resultando numa menor tributação autónoma.

Com um design elegante e bem pronunciado, o novo modelo é uma mudança decidida em relação ao estilo mais utilitário do seu antecessor.
Mas a bagageira com proporções generosas, os numerosos espaços de arrumação no interior e a funcionalidade revelada no habitáculo permitem-lhe conservar o carácter prático e familiar.

Na fila central existem três lugares individuais com deslizamento longitudinal. A distância entre as portas é ligeiramente superior à média, pelo que o lugar do meio, ao contrário do que é vulgar acontecer, não é estreito nem duro, sendo praticamente igual aos laterais. O único contra é que, com o rebaixamento da posição destes bancos, as pernas dos ocupantes ficam mais esticadas.
O encosto do banco do passageiro é rebatível para a frente. Permitindo, assim, transportar objectos de até 2150 mm de comprimento.

Os lugares adicionais da terceira fila montam-se ou rebatem-se sem esforço, apenas com um único movimento.
A área de carga é mais ampla do que no modelo anterior. As capacidades são de 103 litros (atrás da 3.ª fila de bancos, até à janela), 492 a 536 litros (atrás da 2.ª fila de bancos e dependendo do avanço ou recuo da fila central de bancos) e de 1650 litros atrás dos bancos da frente, até ao tejadilho.
Passa a dispor de um compartimento, sob o piso, para recolher a cobertura da mala.
De série existe pneu suplente colocado no exterior sob o chassis.

O novo Carens proporciona de série bastante equipamento. A pagar como opção apenas a pintura metalizada, o sistema de navegação com subwoofer e amplificador e o tecto de abrir panorâmico em vidro, com comando eléctrico.
O cruise control, com limitador de velocidade, é equipamento de série. Os comandos áudio no volante, o Bluetooth e um painel de instrumentos com display em LCD também.
Os equipamentos disponíveis incluem ainda um travão de estacionamento eléctrico, um sistema áudio de ecrã táctil em LCD de 4,3” com seis altifalantes e uma câmara de auxílio ao estacionamento.
Fáceis de alcançar, os compartimentos de arrumação espalhados pelo novo Carens distribuem-se em gavetas sob os bancos, caixas de arrumação sob o piso, uma cava de arrumação profunda na consola central e amplas bolsas de arrumação.

Há, de facto, muitas novidades no interior. Mas também um especial cuidado em proporcionar conforto a bordo, num carro que tem muito de familiar, por isso indicado para viagens mais longas e cansativas.
O bloco 1.7 Diesel já é bastante popular em diversos modelos Kia em todo o mundo.
No novo Carens está disponível com 136 cv e 330 Nm de binário entre as 1.750 e as 2.500 rpm.. As alterações introduzidas e o sistema Start/Stop resultam em emissões de CO2 de 132 g/km na versão com caixa de velocidades manual (159 g/km com transmissão automática) e consumo médio de 5,0 e 6,1 l/100 km respectivamente.
Para ajudar a optimizar o equilíbrio entre performance e economia, o novo Carens usufrui de uma caixa de seis velocidades manual ou automática. Esta última apresenta um modo desportivo manual com patilhas de comando no volante.

Montado sobre uma subestrutura que lhe garante isolamento contra impactos no piso, o novo Carens apresenta suspensão dianteira MacPherson. Na parte traseira o eixo de torção acoplado CTBA beneficia de uma forte ligação entre os braços da suspensão e as mangas do eixo. Concebido para reduzir a subviragem e o deslocamento angular, contribui para aumentar o conforto e a segurança.
O sistema de travagem possui discos nas quatro rodas (300 mm ventilados à frente, 284 mm compactos atrás), com desempenho reforçado por ABS, distribuição eletrónica da força de travagem (EBD) e assistência à travagem (BAS).
A direcção eléctrica assistida conta com o sistema FlexSteer™ que se adapta às preferências do condutor através de três modos de desempenho da direção: Normal, Sport e Comfort.
Conta de série com jantes de liga leve de 18” com pneus de mais baixo perfil. Os únicos que lhe permitem uma homologação nacional capaz de garantir uma redução significativa de ISV.


-->

Sem comentários