Header Ads

TECNOLOGIA: Um dia os carros irão conhecer quem os conduz

A Volvo tem vindo a desenvolver um sistema que, no futuro, irá ajudar a perceber o estado de atenção do condutor e a reagir em função da informação recolhida. O “Driver State Estimation” monitoriza os sentidos dos condutores através de reconhecimento facial, permitindo aferir o seu grau de atenção à estrada. Esta tecnologia deverá ser de grande utilidade nos automóveis de condução autónoma, uma vez que pode determinar se o piloto está, ou não, em condições de retomar os comandos do volante. Além das questões de segurança, ao “reconhecer” o condutor este dispositivo irá permitir, por exemplo, o ajuste automático do banco e do volante conforme as suas preferências.

Um conjunto de sensores instalados no painel de instrumentos avaliam os movimentos oculares do condutor, a posição e o ângulo da sua cabeça.
Pequenos LEDs instalados sobre o painel, em frente do condutor, iluminam-lhe o rosto com uma luz infravermelha que, de seguida, é monitorizada por sensores. A luz infravermelha está fora do comprimento de onda que o olho humano capta, daí ser imperceptível para o piloto.
As informações recolhidas tornam possível assegurar se o automóvel permanece na sua faixa de rodagem sem risco de acidente, mesmo quando o condutor não está a prestar atenção. Se ele baixar a cabeça, o automóvel poderá também tentar “acordá-lo”.
Através destes sistemas capazes de reconhecer e distinguir se um condutor está cansado ou desatento, o automóvel do futuro pode tornar-se ainda mais seguro. Exemplos disso incluem tecnologia que detecta olhos fechados ou para onde o condutor está a olhar. Assim que o equipamento detectar que o condutor não está a prestar atenção, os sistemas de segurança podem ser aplicados de forma mais eficaz.
Alguns dos sistemas de segurança actuais que poderão beneficiar com esta nova tecnologia são: o Lane Keeping Aid; o Collision Warning com Full Auto Brake e o Adaptive Cruise Control com Queue Assist.

Ajustar as preferências de quem conduz

Além da segurança, este sistema permite ainda “reconhecer” o condutor e ajustar o automóvel consoante as suas preferências. 
A monitorização do condutor abre uma nova miríade de possibilidades tais como, por exemplo, ajustar automaticamente a configuração do assento e do volante ao reconhecer a pessoa.
No entanto, não existe gravação de imagem pelo que o sistema não oferece qualquer função de vigilância do condutor.
Esta nova tecnologia já está instalada em veículos de teste e será um projecto chave para os automóveis auto-conduzidos no futuro. O automóvel terá a capacidade de determinar por si se o condutor é capaz de assumir o controle quando as condições para a condução autónoma não estão presentes. 
Esta tecnologia é uma das muitas iniciativas que conduzem a Volvo à sua meta para 2020 - que ninguém perca a vida ou fique gravemente ferido a bordo de um Volvo.

Ler mais sobre este assunto em: TECNOLOGIA: Um dia os carros irão andar sozinhos

-->

Sem comentários