Header Ads

ANÁLISE: Vendas de automóveis até Maio sustentam forte crescimento do mercado em 2014

As vendas automóveis em Portugal continuam a crescer face aos magros resultados de 2013. Maio registou um crescimento no segmento de ligeiros de 37,3 por cento face ao período homólogo do ano anterior. Entre Janeiro e Maio de 2014 já se venderam quase 70 mil veículos ligeiros, o que resulta numa média mensal de 14 mil unidades. A este ritmo, no final de 2014, o mercado automóvel em Portugal poderá superar a barreira das 170 mil viaturas vendidas, se englobarmos também os pesados de carga e passageiros. Um valor para o qual nem as perspectivas mais optimistas apontavam  no início de 2014.

O ranking das mais vendidas continua a ser liderado pela invicta Renault, com a Peugeot e a Volkswagen a fecharem o pódio.
Estas duas últimas marcas trocam de posição consoante se englobem as vendas de comerciais ligeiros, com a marca francesa a superar a alemã neste aspecto.
O mesmo acontece com a Mercedes e a BMW – que ocupam as posições seguintes -, beneficiando a primeira da vantagem da BMW não dispor de uma gama de comerciais.
A Seat, Dacia e a Mazda recuperam mercado, embora a marca que conhece uma recuperação mais estrondosa seja a Nissan.
Esta marca japonesa superou já a quota de mercado em Portugal da Ford e da Toyota e está acima dos objectivos traçados pelo importador, em 2007, com o programa “Portugal360”. Responsável por este sucesso já não é só o fenómeno Qashqai, juntando-se-lhe o Juke e o mais recente Note.

Quem perde e quem ganha mais quota de mercado

Entre as marcas que perdem quota de mercado face a 2013 estão as três do grupo SIVA: Volkswagen, Audi e Skoda. Curiosamente, a outra marca do grupo VW, a Seat, ganha mais de 1 por cento de quota de mercado em Portugal, muito apoiada pela boa aceitação da gama Leon.
Em sentidos opostos caminham também duas marcas do mesmo grupo: a Kia, em forte recuperação e a subir na tabela e a Hyundai, que apesar de estar a vender mais do que em 2013, continua a não apresentar números condizentes com a gama abrangente e jovem que dispõe.
Entre todas as marcas que continuam a actuar no mercado português, apenas a Honda assinala uma regressão das vendas face a 2013.
Por fim, marcas de prestígio como a Porsche e a Jaguar continuam a obter resultados interessantes para a dimensão do mercado nacional.

Retoma económica em curso?

A inevitabilidade de não poder adiar mais a renovação das suas frotas, tem estimulado o mercado de viaturas comerciais, tanto de ligeiros como de pesados.
De Janeiro a Maio de 2014, o mercado português de comerciais ligeiros cresceu 60 por cento, e as vendas desta classe de veículos representa uma força importante das vendas de algumas marcas, como as francesas Renault ou Citroen.
Observando ainda o mercado de ligeiros, destaque para o forte crescimento da Opel e da Dacia, bem como da Iveco, construtor que opera apenas neste sub-segmento. Igualmente Kia e Seat mais do que duplicaram as suas vendas numéricas.
Olhando agora para os comerciais pesados, torna-se interessante verificar que, percentualmente, os de mercadorias conheceram maior procura do que os de passageiros. Sujeitos a mais desgaste, o crescimento do volume de mercadorias em circulação, bem como a retoma de algumas obras poderão explicar este crescimento das vendas.

-->

Sem comentários