Header Ads

ENSAIO: Peugeot 308 SW 1.6 HDi / 92 cv

O novo 308 tem sido o maior sucesso da marca francesa nos tempos mais recentes. Razões não faltam: estética equilibrada, interior espaçoso, moderno e funcional, aliado a um desempenho dinâmico bastante agradável. A tudo isto une uma gama de motores ajustáveis às necessidades de mercados diversos. Predicados que a versão carrinha também contém, potenciando a questão da funcionalidade e da habitabilidade com a ajuda de dois truques: uma distância entre eixos “esticada”, que puxa à retaguarda o assento posterior, e um acentuado prolongamento da parte traseira, o que faz aumentar significativamente a capacidade da bagageira.

O primeiro factor apreciado numa carrinha é exactamente a questão do espaço.
Sobretudo a utilidade e capacidade da sua mala.
Face à versão de cinco portas, esta carroçaria acrescenta 33 cm ao comprimento, 11 dos quais reservados ao aumento da distância entre eixos e 22 cm para o prolongamento da zona traseira.
É graças a tudo isto que a bagageira oferece 610 litros de capacidade. Com o rebatimento, agora mais fácil e prático dos encostos traseiros, esse valor sobe até aos 1.660 litros.
E quando isso acontece, a profundidade da superfície completamente plana do piso da mala estende-se até perto de 1,80 metros.
Vários elementos ajudam a organizar e fixar os objectos transportados na zona de carga.
Há também que destacar a pouca altura da plataforma ao solo, para facilitar as operações de carga.
Existe pneu suplente, fino e de emergência, sempre melhor do que os pouco práticos kit anti-furo.

Resto do habitáculo quase igual

O restante interior pouco difere da versão de 5 portas. Excepto pelo facto dos ocupantes do banco traseiro beneficiarem de mais 6 cm de espaço para as pernas e de escassos dois centímetros a mais de altura. A largura permanece a mesma.



A apresentação sóbria e elegante do tablier, praticamente despida de comandos, é também, nesse aspecto, igual à versão de cinco portas.
A maioria dos comandos está concentrada e tem acesso digital a partir do ecrã táctil colocado no centro do tablier. Uma solução que, não sendo a mais intuitiva (apesar do grafismo ser simples), acaba por permitir poupanças de custo e de peso.

Tal como no “5 portas” e nas criações mais recentes da marca francesa, o painel de bordo surge sobre o volante. Uma solução que, com a habituação, acaba por resultar cómoda, porque facilita a sua visualização sem desviar o olhar na estrada.
A qualidade dos materiais melhorou substancialmente mas continua variável: muito boa, porque robusta, na parte superior do tablier, de menor qualidade aparente os plásticos da consola central e de partes menos visíveis. Para já, sem consequências, uma vez que não se pressentem ruídos parasitas.

Motores e desempenho

Uma novidade mecânica que a Peugeot 308 SW introduziu foi o motor a gasolina 1.2 THP "Puretech” com 110 ou 130 cv.
Coube para ensaio a conhecida unidade a gasóleo 1.6 HDi de 92 cv, concebida para garantir baixos consumos e emissões bastante reduzidas.
É o caso: 99 g/km de CO2 ajudam o preço desta versão a ficar abaixo dos 25 mil euros.
Por conseguinte, uma solução atraente para empresas devido à tributação autónoma.

Com um funcionamento muito suave - mas não propriamente silencioso, a frio e a baixa rotação sobretudo - cumpre o primeiro dos seus objectivos: a média do ensaio ficou abaixo dos 5,0 litros, sendo que, em estrada e com uma condução moderada, facilmente esse valor desce quase um litro.
Com transmissão manual de cinco velocidades, o conjunto denota pouca elasticidade em cidade. Tal obriga a recorrer mais vezes à caixa de velocidades.
Também não é uma versão particularmente rápida. Embora, depois de embalado, consiga manter a velocidade sem grande esforço. Carregado mostra igualmente maiores dificuldades quando enfrenta lombas, demorando ainda mais a tempo a recuperar. Contudo, se não houver pressas e a intenção for poupar, mais carga não produz grandes reflexos sobre o consumo.
Esta versão não tem sistema start/stop e as emissões são mais elevadas do que a unidade de 115 cv.

Gama e equipamento

Em Portugal, o 308 SW pode dispor de três motores: um a gasolina (1.2 PureTech com 110 ou 130 cv) e dois a gasóleo.
A conhecida unidade 1.6 HDi declina-se também em dois valores de potência (92 e 115 cv). Quanto ao bloco 2.0 BlueHDi apresenta 150 cv, quer esteja equipado com caixa manual de 6 velocidade ou com a nova transmissão automática do grupo francês.


IMPORTA LER SE QUISER SABER MAIS:
APRESENTAÇÃO: PEUGEOT 308 SW (MY 2014)
PREÇOS E EQUIPAMENTO

O acesso à gama faz-se com o nível Access, que só não está disponível para o motor 2.0 BlueHDi de 150 cv e para a versão de 130 cv da motorização a gasolina.
Este nível de entrada é básico para os padrões actuais. Daí que seja o intermédio - Active - e o superior - Allure – que atraem mais compradores.
O Active pode contar, em acréscimo ao Access, com ajuda ao estacionamento traseiro, cruise control, ajuda à subida em declive, ESP - Programa electrónico de estabilidade, ABS+REF+AFU+ESP, ar condicionado automático bi-zona, fecho central das portas e bagageira com comando à distância, vidros dianteiros e traseiros eléctricos e sequenciais, volante em couro com friso cromado, retrovisor interior electrocromático, faróis de nevoeiro, ecrã tactil de 9.7'' com Navegação e jantes "Quartz", em liga leve, de 16", entre outros.
O tecto panorâmico em vidro, com cortina de comando eléctrico, faz parte do equipamento de série do nível mais elevado, o Allure.
Finalmente, o Peugeot 308 SW inaugura uma funcionalidade específica da aplicação "MyPeugeot", que permite visualizar, no Smartphone (Android ou Apple), informações sobre o veículo: a sua localização, a quilometragem e uma estatística dos consumos obtidos ou quais as luzes avisadoras que possam estar a alertar para ocorrências, entre outras funções presentes ou que possam vir a ser acrescentadas.
Veja mais detalhes sobre o funcionamento desta aplicação no texto de apresentação do modelo cuja ligação se encontra mais acima.


Dados mais importantes
Preços desde
24.970 euros
Motores
1560 cc, 92 cv às 4000 rpm, 8 Valv., 230 Nm às 1750 rpm, common rail, turbo intercooler
Prestações
181 km/h, 11,9 seg.(0/100 km/h)
Consumos (médio/estrada/cidade)
3,8 / 3,5 / 4,5 litros
Emissões Poluentes (CO2)
99 gr/km

-->

Sem comentários