Header Ads

Audi EA 189: que modelos foram afetados e o que fazer aos carros com motor a gasóleo?

- Como descobrir se o seu carro é um dos modelos afectados?

- Que consequências tem para o motor o software instalado?

- Porque é que a Audi recorreu a este software?

- Devo comprar um Audi novo?

- Por que é que o óxido de azoto (NOx) é perigoso?


- Como descobrir se o carro é um dos modelos afectados?

A marca já disponibilizou todos os motores onde instalou o software. Para descobrir se o seu carro tem um dos motores a gasóleo com software que manipula as emissões basta  inserir o número do chassis do veículo na plataforma criada pela Audi Portugal. Pode também contactar a marca através do serviço de Call Center Audi (800 30 80 30), dirigir-se a um dos concessionários da marca e está ainda disponível o email de apoio ao cliente apoio.clientes@siva.pt .

Os veículos afetados são os modelos Audi com os motores TDI de 1.6 litros ou 2.0 litros Diesel do tipo EA 189 e certificados de acordo com a norma padrão europeia de emissões EU5.

- Que consequências tem para o motor o software instalado?

À partida, do que se sabe, o software serve apenas para manipular o valor das emissões de NOx em testes. Portanto, não traz quaisquer consequências para a fiabilidade ou segurança dos carros em que foi instalado e o construtor tem repetidamente garantido que todos os veículos afectados são seguros em termos técnicos e podem circular na estrada.

Em Portugal, no total das 4 marcas, estima-se que existam 117 mil veículos com o software que manipula as emissões.

- O que é que a Audi vai fazer aos carros a gasóleo com software manipulado?

O grupo VW, do qual a Audi faz parte, já anunciou que assume total responsabilidade e que suportará também o custo de todas as medidas necessárias.

A primeira solução apresentada diz respeito aos motores a gasóleo 2.0 TDI e 1.6 TDI.

Para o motor 2.0, o construtor garantiu que, ainda em 2015, estará pronta uma solução que passa pela alteração do software dos modelos afectados. Prevê-se que a sua implementação comece no início de 2016.

Para o motor 1.6, além de um novo software, serão necessárias alterações no motor. Para estes foi anunciada uma solução que não deverá estar prontas antes de Setembro de 2016.

Uma primeira estimativa de custos por veículo indica que deverão variar entre os 20 e os 10 mil euros.

Mas a questão é complexa e pode não bastar uma simples rectificação do software, já que isso poderá trazer reflexos sobre o desempenho dos motores (no caso de todos os sistemas de contenção de gases estiverem em funcionamento constante) ou de âmbito legal (no caso de, para terem um funcionamento normal, as viaturas emitirem mais emissões além do limite ou que lhes permitiram obter determinados benefícios fiscais).

Isso implicaria alterar toda a estrutura do motor, incluindo sistemas de escape. Por isso, o que se equaciona é qual a solução economicamente mais viável.

- Porque é que a Audi utilizou este software nos seus motores a gasóleo?

Porque os motores a gasóleo que utilizava em diversos modelos, em condições reais de circulação, produziam emissões de Óxido de Azoto mais elevadas do que as permitidas pelas autoridades norte-americanas.

- O que é o Óxido de Azoto (NOx) e por que é que ele é perigoso para a saúde e para o ambiente?


A maioria das emissões de óxido de azoto para a atmosfera resultam principalmente da queima de combustíveis fósseis na indústria e nos meios de transporte.

Sendo o automóvel considerada a principal fonte de emissões nas zonas urbanas, daí a vigilância intensa das autoridades sanitárias e ambientais.

Os efeitos da concentração elevada de NOx para a saúde verificam-se sobretudo a nível respiratório:
lesões nos brônquios, aumento de reacções alérgicas, bronquites, enfisemas pulmonares ou até edemas em casos extremos.

No ambiente interfere sobre o desenvolvimento da flora e pode desencadear chuvas ácidas.
Por fim, concentrações elevadas podem também causar danos sobre o património, dada a facilidade de reacção com diversos outros agentes.

- É seguro comprar um Audi a gasóleo novo ou usado?

Esta é a grande preocupação do momento. A resposta, pelos dados que se conhecem, é que nada impede que isso aconteça. Os novos motores TDI de 1.6 litros e 2.0 litros Diesel, certificados de acordo com a nova norma de emissões EU6, não estão afectados.

O mesmo se aplica aos motores V6 e V8 TDI, independentemente de estarem certificados de acordo com a norma EU5 ou EU6.

Todas as marcas do grupo Volkswagen estão a ser alvo de uma investigação intensiva por parte de autoridades externas e todos os modelos está a ser rigorosamente escrutinados por entidades independentes. Portanto, é pouco credível que continuem a utilizar qualquer tipo de manipulação e, em relação aos modelos usados, o construtor tem repetidamente garantido que todos os veículos afectados são seguros em termos técnicos e podem circular na estrada. E nada indica o contrário ou foram reportados quaisquer género de incidentes.

Contudo, há que contar com os efeitos ainda não contabilizados para a imagem da marca e de que forma é que ela pode repercutir-se, daqui a uns anos, sobre os carros usados, como motor a gasóleo de todo o grupo VW e, neste caso particular nos modelos Audi que foram afectados.

  PUB

Sem comentários