Header Ads

Kia Venga 1.4 CRDI ECODynamics

Ecológico q.b.
A componente ambiental da versão é garantida pela moderação dos consumos, mas isso acaba por se reflectir bastante no seu desempenho dinâmico.
Tomei pela primeira vez contacto com este pequeno monovolume coreano, numa versão equipada como motor a gasolina 1.4 que, por razões sobejamente conhecidas, não será a mais apelativa para o mercado nacional.
Só agora me foi dada a oportunidade de ensaiar a variante mais económica de um novíssimo motor diesel do poderoso grupo Hyundai (actualmente 4.º ou 5.º a nível mundial), do qual a Kia faz parte. Trata-se de um pequeno bloco 1.4 que, na versão de 75 cv (existe uma outra com 90 cv) e dotado de tecnologia "stop & go", pneus de baixo atrito e indicador da mudança mais correcta para o momento, tem como objectivo assumido garantir baixos consumos e reduzir as emissões poluentes.
Ora se pelo menos para efeitos fiscais esse desígnio foi cumprido, em termos práticos, mesmo praticando uma condução mais defensiva, é difícil senão mesmo impossível, conseguir cumprir os consumos anunciados pelo fabricante.

Em grande parte porque uma caixa de cinco velocidades longa obriga a constantes trocas para evitar perder ritmo de andamento. Esta versão do Venga não é propriamente despachada e quando lotado necessita de algum espaço para atingir alguma desenvoltura em estrada.
Papel duplo
Em contrapartida, e isso já constatara na versão a gasolina, o Kia Venga está a meio caminho entre um utilitário e um monovolume médio. Não sendo muito longo mas valendo-se de uma largura aceitável, o espaço proporcionado na parte traseira surpreende pela positiva, com a capacidade da mala a superar os 500 litros graças à possibilidade de movimentar o assento traseiro.
Por todo o habitáculo há grande preocupação num aproveitamento correcto do espaço, oferecendo também alguns extras bastante jovens e actuais como entradas auxiliares de som. Boa qualidade de construção, uma disposição racional dos comandos, ergonomia, funcionalidade e uma certa jovialidade, são algumas características do seu interior.
Em matéria de comodidade há que referir uma insonorização aceitável e uma suspensão razoavelmente bem equilibrada entre as necessidades de conforto e as exigências do comportamento. O Kia Venga – e esta proposta em particular – é um carro pleno de duplicidades: na economia, em termos de preço e de consumos, e na função, pois tanto se revela competente nas funções de um citadino, como capaz de assumir um papel mais familiar graças ao espaço e versatilidade que proporciona.
PREÇO, desde 18300 euros MOTOR, 1396 cc, 75 cv às 4000 rpm, 220 Nm das 1750 às 2750 rpm, 16V CONSUMOS, 5,2/4,0/4,5 l (cidade/estrada/misto) EMISSÕES POLUENTES, 118 g/km de CO2

Sem comentários