Header Ads

APRESENTAÇÃO: Toyota Auris (MY 2013). Actualizado com preços e características.

Nunca foi um carro bem-amado no mercado português. A primeira geração padecia sobretudo de plásticos interiores fracos para a imagem de qualidade do construtor. Depois, o facto de se encaixar entre o Yaris e o Corolla retirou-lhe algum espaço de comercialização (ler AQUI um ensaio em 2007). Em 2010, uma profunda renovação veio limar algumas arestas e, sobretudo, fez surgir uma versão híbrida (ensaio AQUI) com unidades eléctricas acopladas a um motor a gasolina 1.8. Um novo Toyota Auris está a caminho e inclui, pela primeira vez, uma versão carrinha (mais detalhes (NESTE TEXTO). Conheça a seguir o que traz de novo este representante da marca japonesa no segmento C.

Mais arrojado, mais desportivo, mais dinâmico. É a promessa da Toyota para o novo Auris, em estreia na edição 2012 do Salão Automóvel de Paris.
Com três tipos de motorizações disponíveis - hibrida, diesel e gasolina – foi dado especial enfoque à gestão do peso, ao acerto do chassis e à aerodinâmica, de forma a melhorar a dinâmica e ao mesmo tempo reduzir consumos e emissões.
Construído em Inglaterra, o novo modelo quer estar ao melhor nível qualitativo da classe e, simultaneamente, reforçar a eficiência de todas as motorizações. Além de querer manter a liderança tecnológica da versão híbrida “full hybrid”, que permite a movimentação exclusivamente em modo eléctrico.
O novo design exterior confere à Nova Geração Auris uma excelente performance aerodinâmica, contribuindo para melhorar tanto a estabilidade de comportamento como os valores de consumos de combustível. É o carro mais baixo do segmento C, com uma redução de 55 mm na altura e um Cd de apenas 0.28. Isto contribui para a sua estabilidade e para a redução de combustível.

Estilo exterior


Com 4,275 mm de comprimento total, a nova geração cresceu 30 mm, ainda que a sua distância entre-eixos se tenha mantido nos 2,600 mm. As projecções dianteira e traseira da carroçaria aumentaram 15 mm, mas o Auris continua a ser um dos automóveis mais compactos da sua classe.
De modo significativo, a superfície frontal projectada do Auris foi reduzida em 4% relativamente ao modelo actual, sem que isso se reflectisse na acomodação dos ocupantes. A sua altura total foi diminuída em 55 mm (a cabina em 45 mm e a altura ao solo em 10 mm), o que o torna o automóvel com o centro de gravidade mais baixo do seu segmento. Cumulativamente, estas alterações asseguram importantes vantagens aerodinâmicas, contribuindo para uma maior eficiência na utilização do combustível e numa superior dinâmica de condução.
A frente mais baixa do Novo Auris combina ópticas esguias com iluminação Led diurna. O inovador conceito de faróis principais que incorpora as l
uzes de circulação diurna é montado de série em todos os níveis de equipamento.
A grelha mais larga e em posição inferior encontra-se ladeada por faróis de nevoeiro integrados com acabamentos cromados baços. A barra inferior como possui uma parte em preto baço, parece flutuar.
Visto de perfil, por debaixo do para-brisas com forte inclinação que flui suavemente para uma nova linha de tejadilho mais baixa (e que reduz a resistência aerodinâmica) observa-se outra dramática alteração de estilo que resulta do incremento da superfície lateral para três painéis, sobre um mais marcado vinco da linha de cintura.
O espelho retrovisor foi reposicionado dentro da área vidrada, os pilares dissimulados incluem um acabamento em preto (no pilar B) e, em conjunto com uma linha de cintura destacada por um friso cromado, o tratamento mais dinâmico do pilar traseiro reforça ainda mais a silhueta mais baixa, elegante e desportiva da Nova Geração Auris.
A altura ao solo da Nova Geração Toyota Auris foi reduzida em 10 mm, estreitando o espaço entre as cavas das rodas e os pneus e alinhando as rodas para mais perto da carroçaria para também acentuar a aparência mais fina e aerodinâmica. O leque de jantes inclui a opção de escolha entre 15” ou de 16” com tampões e 16” ou 17” em liga leve.
Na parte traseira, o acesso à bagageira foi melhorado com o aumento das dimensões do portão traseiro e um deflector de ar integrado. O novo para-choques com reflectores integrados nas extremidades sublinha o novo visual largo, estável e desportivo da Nova Geração Auris.
Entre as várias inovações encontra-se o “Skyview” o maior tecto panorâmico do segmento C.


Preços de todas as versões:


Interiores profundamente revistos

Os materiais que estão em contacto com os passageiros foram amplamente melhorados. O volante é revestido em pele de elevada qualidade e tanto a parte superior do tablier como as quartelas das portas possuem materiais suaves ao toque. Ambas as pegas das portas são cobertas por um tecido macio.
No interior da instrumentação existe agora uma apresentação simples e clara de dois ou três mostradores, com números e ponteiros em cor 
branca. Todos os botões usam o mesmo tipo de fonte e tanto a instrumentação como a consola central têm uma luz de fundo em azul claro, para conferir um aspecto Premium e uma superior consistência visual.
Materiais de elevada qualidade em tons cinza foram ainda aplicados nas saídas de ventilação, nas aplicações em volta do painel de instrumentos, na consola central, no túnel de transmissão, nos controlos do ar condicionado e do áudio.
O novo design mais simples apresenta formas ousadas, excelente funcionalidade e materiais de elevada qualidade. O tablier combina um efeito de forte horizontalidade para reforçar a sensação de largura à frente e de espaço. Ainda na frente o design conta com cais ergonómica configuração da instrumentação e dos vários comandos direccionados para o condutor.
Nas versões de topo, a parte superior do tablier encontra-se revestida a pele.
Com a melhoria substancial no interior a gestão de espaço foi profundamente revista.
Dispondo de um curso mais longo de ajuste longitudinal e vertical, o novo desenho dos bancos oferece um conforto excelente. A altura do banco foi reduzido em 40 mm e o volante foi reclinado para baixo cerca de 2 º criando uma posição de condução mais envolvente. De série no nível de equipamento Sport, um novo tipo de banco garante um nível adicional de apoio lateral.
O novo desenho dos bancos dianteiros aumentou o espaço para joelhos em 20 mm e a abertura das portas traseiras foi igualmente ampliada. O 
comprimento do espaço de carga foi incrementado em 50 mm e a largura da “boca” de carga da bagageira aumentou 90 mm. Dispondo de flexibilidade acrescida possibilitada pelo fundo da mala que pode ser instalada em duas diferentes alturas e bancos traseiros com rebatimento em 60:40, todas as versões, incluindo a versão híbrida (a bateria foi recolocada sob o banco traseiro, sem retirar espaço de carga), oferecem uma capacidade de carga de 360 litros.
O carácter prático da Nova Geração Auris é salientado por várias funcionalidades e pelo generoso espaço de arrumação. É o caso do porta-luvas, do suporte de óculos de sol, ganchos para casacos, da caixa para moedas, 4 apoios de copos e 4 apoios de garrafas, apoio de braços central deslizante pinça para fixar os documentos, espaços para guardar pequenos objectos no tablier e na parte de trás da consola central, 3 entradas - tomada de 12V para ligação de acessórios e uma entrada para ligação AUX, uma travessa removível, ganchos para fixar sacos e plataforma no espaço de carga que pode ser montada em duas alturas.

Motores: Versão Hibrida

Estarão disponíveis três tipos de motorizações, com destaque para a versão híbrida.
O novo Auris Híbrido possui um novo sistema “Hybrid Synergy Drive”, mais eficiente e também mais dinâmico graças às alterações introduzidas na última tecnologia “Full Hybrid” da Toyota.
Com as emissões mais baixas na classe, apenas 87 g/km de CO2 no ciclo combinado Europeu, é capaz de operar de forma independente ou em ação conjunta, o sistema Hybrid Synergy Drive – HSD.
Mantendo o motor de 1.8 litros VVT-i a gasolina e um motor eléctrico de 60 kW, gerando uma potência máxima de 136 cv, o Auris Híbrido consegue acelerar de 0 a 100 km/h em 10.9 segundos e alcançar uma velocidade máxima de 180 km/h. Quando trabalha no exclusivo modo passível de seleccionar EV (que não está disponível na tecnologia utilizada por muitos construtores – Mild Hybrid), o Auris Híbrido gera zero emissões de CO2, NOx e de matéria de partículas, podendo prosseguir neste modo até uma distância de dois quilómetros a velocidades até cerca de 50 km/h, dependendo do estado da carga da bateria e das condições da condução.

No entanto, os dados internos da Toyota mostram que o efeito acumulado da condução em modo full hybrid leva a um tempo mais elevado de condução em modo EV, por vezes em distâncias muito superiores aos 2 quilómetros anunciados. Com a circulação em cidade, as travagens e desacelerações são frequentes, levando o sistema a desligar o motor de combustão e percorrendo muitos metros em modo zero emissões que, no seu acumulado, representam muitos quilómetros. Com a colocação da bateria híbrida por baixo do banco traseiro, o sistema de arrefecimento da mesma foi redesenhada, passando a estar sob o piso, o que elimina a grelha que existia na anterior geração junto do encosto do banco. A recolocação da entrada de ar permite a admissão de ar mais fresco melhorando o arrefecimento e consequentemente a eficiência.

Motores: 2.0 litros D-4D turbodiesel

Acoplado a uma transmissão manual de seis velocidades, o motor 2.0 litros D-4D turbodiesel de 124 cv foi extensamente revisto e dispõe agora de tecnologia Stop & Start de série. Para incrementar o binário a baixas rotações, esta unidade conta com um novo turbocompressor com um sistema lubrificação do veio com menor fricção e do controlo de pressão por actuador eléctrico.
Mais silencioso, com menos vibrações e com maior disponibilidade de binário de 310 Nm entre as 1600 ~ 2400 rpm, enquanto a baixas rotações subiu para 300 Nm desde as 1400 rpm. Esta melhoria contribui para a utilização de relações de caixa mais altas, diminuído o consumo e o ruido. As emissões de CO2 foram reduzidas em 19% - de 138 para 112 g/km no ciclo combinado. O consumo de combustível também caiu de 5.2 para 4.3 l/100 km no ciclo combinado.

Motores: 1.4 D-4D turbodiesel

Disponível tanto com caixa de 5 velocidades manual ou automática MultiModo, o motor 1.4 litros D-4D desenvolve 90 cv e um binário máximo de 205 Nm logo entre as 1,800 e as 2,800 rpm, cumprindo com as restritas normas de emissões Euro 5.
Pela primeira vez na história da marca, a Nova Geração Auris marca a introdução do sistema Stop & Start num bloco diesel. Beneficiando de todas as tecnologias que integram o programa Toyota Optimal Drive, maximizando as performances a facilidade de condução e ao mesmo tempo mitigando os consumos e emissões de CO2 e partículas.
Quando equipado com uma transmissão manual e tecnologia Stop & Start, a melhorada unidade 1.4 D-4D 90 consegue alcançar um consumo de combustível em ciclo combinado de 3.8 l/100 km e gerar emissões de CO2 de apenas 99 g/km – uma diminuição de 0.6 l/100km e de 10 g/km.

Motores 1.33 Dual VVT-i (gasolina)

Equipado com a inovadora tecnologia Stop & Start, o motor a gasolina de 1.33 litros está dotado do sistema Dual Variable Valve Timingintelligent (VVT-i) na arvore de cames de admissão e de escape, e por outro lado de uma elevada taxa de compressão de 11.5:1, o que incrementa a eficiência térmica do motor, gerando 99 cv e um binário máximo de 128 Nm às 3,800 rpm.
Esta excelente performance dinâmica é combinada com um consumo de combustível desde 5.4 l/100 km e emissões de CO2 desde 125 g/km, ou seja, uma redução de 0.4 l/100km e de 11 g/km comparativamente com o modelo que agora é substituído.
O sistema Dual VVT-i ajuda a elevar os níveis de resposta em toda a gama de rotações do motor através da variação do momento de entrada da mistura ar/combustível e os tempos de funcionamento das válvulas de escape para uma melhor adaptação às condições a cada momento. Para além de aumentar o binário disponível a baixos e médios regimes de rotação do motor, o sistema é também capaz de reduzir emissões e de melhorar a eficiência na utilização do combustível.

Motores: 1.6 Valvematic (por encomenda)

Oferecendo um nível de eficiência, potência e binário líderes na sua classe, o sistema Valvematic é a mais recente evolução do altamente bem sucedido sistema Dual Variable Valve Timing-intelligent (Dual VVT-i) da Toyota.
O sistema Valvematic leva a tecnologia VVT-i a um novo patamar ao adicionar o controlo curso de abertura e do tempo de abertura da válvula de admissão. Assim se melhora o volume do caudal de ar na admissão e o controlo sobre a velocidade do mesmo e, subsequentemente, a gestão do processo de combustão, de modo a gerar mais potência com menos consumo de combustível, além de reduzidas emissões de CO2. A adopção do sistema Valvematic reduz ainda mais as perdas por fricção e por bombagem em situações de baixas cargas de acelerador, o que diminui o consumo ainda mais.
Disponível com uma caixa manual de 5 ou uma caixa manual de 6 velocidades ou ainda uma transmissão automática Multidrive S, o motor 1.6-litros Valvematic desenvolve 132 cv e um binário máximo de 160 Nm a apenas 4,400 rpm.
Quando equipado com a transmissão manual esta unidade consegue alcançar um consumo médio em ciclo combinado de 5.9 l/100 km e de gerar emissões de apenas 138 g/km – o que significa uma redução de cerca de 0.7 l/100km a 12g/km. A transmissão do sistema MultiDrive S reduz ainda mais o consumo e as emissões, que baixam para 5.7 l/100 km e 134 g/km respectivamente.

Sem comentários