Header Ads

Aliança Renault-Nissan fabrica futuros automóveis Lada

A Aliança Renault-Nissan e a Russian Technologies estabeleceram uma parceria estratégica com o objectivo de modernizar a construtora de automóveis russa AvtoVAZ, detentora da marca Lada. Esta “joint venture” irá acelerar o lançamento de novos produtos com uma mais rápida transferência de tecnologia para a AvtoVAZ, que é o maior fabricante de automóveis da Rússia. O contrato agora firmado prevê que, em 2014, a Aliança possa ser sócia maioritária da sociedade. Em contra-ciclo com o que se passa no resto da Europa, o mercado russo está em forte crescimento e à beira de se tornar o maior do continente europeu. No passado, a Lada chegou a vender automóveis para a Europa Central, o mais popular dos quais o pequeno jipe Lada Niva.

O negócio acontece oito meses depois de o presidente da Rússia, Vladimir Putin, inaugurar um complexo de montagem com capacidade para fabricar 350 mil veículos por ano em Togliatti, na região russa de Samara. Este complexo irá tornar-se o centro de um dos maiores programas de partilha de plataformas da Aliança Renault-Nissan, já iniciado com o LADA Largus na Primavera de 2012.
O Lada Largus é, nem mais nem menos, do que o Dacia Logan MPV, de sete lugares, comercializado em alguns países europeus, como Portugal, e que agora deu lugar ao Dacia Lodgy.
O segundo carro a ser construído será um Nissan Almera, destinado ao mercado russo, em 2013. Mas cinco outros modelos, das três marcas, deverão começar a ser fabricados nos tempos mais próximos.
Este projecto representou um investimento da ordem dos 400 milhões de dólares e contempla ainda unidades de produção em Moscovo, São Petersburgo e Izhevsk, 700 quilómetros a norte do complexo AvtoVAZ em Togliatt.
A capacidade total destas quatro unidades produtivas será de pelo menos 1,7 milhões de carros/ano a partir de 2016.

Mercado russo em forte expansão

O volume total da produção automóvel da Rússia em 2011 foi de cerca de 2,65 milhões de veículos, número que deverá aumentar em 2012 para 2,9 milhões de unidades.
O mercado interno é o destino principal desta produção, mas alguns países do Leste da Europa, e sobretudo ex-repúblicas soviéticas, absorvem também parte da produção.
A Rússia já é o terceiro maior mercado para a Aliança Renault-Nissan. No ano passado vendeu 878.990 automóveis, dos quais 578.387 eram da marca Lada, representando uma quota de mercado de quase 33 por cento.
Distantes vão os tempos em que a Lada fabricava réplicas próprias de carros concebidos no ocidente. Alguns modelos construídos anos antes da Perestroika até algum tempo depois da queda do muro de Berlim assentavam em bases mais antigas da italiana Fiat.

Os números do acordo

Os valores envolvidos neste acordo são volumosos e demonstram a importância que o mercado russo representa para a Aliança Renault-Nissan.
Nos tempos mais imediatos, o objectivo é que o conjunto das três marcas detenha uma quota de mercado interno superior a 40 por cento do mercado. Contudo, os mercados emergentes espalhados pelo Mundo e as economias em expansão em redor da Rússia são, naturalmente, alvos bastante apetecíveis para escoar a tremenda capacidade produtiva da indústria automóvel russa.
Por isso, este acordo histórico não só é vantajoso para qualquer das partes, mas também, naturalmente, para a economia russa e para o governo de Putin, que concedeu todas as facilidades necessárias para que ele acontecesse.
O investimento previsto da Renault-Nissan é de 742 milhões de dólares, substancialmente superior aos 258 milhões da Russian Technologies. Além disso, o investimento russo não é feito directamente mas sim através da reestruturação de uma dívida da AvtoVAZ para com a empresa russa.
A Renault adquiriu 25% da AvtoVAZ em 2008 mas, com o montante agora investido, a Renault-Nissan deterá 67,13% da AvtoVAZ em 2014. Um valor mais elevado do que os 50,1% previstos inicialmente, tal deve-se ao facto da entrada da Nissan no projecto acrescentar uma participação da ordem dos 17,03%.
Caberá à Russian Technologies os restantes 32,87% da joint venture.

Os intervenientes no projecto

Fica uma breve resenha dos protagonistas.
A Aliança Renault-Nissan é uma parceria estratégica firmada em 1999 entre os dois construtores e que, em 2011, foi responsável pela venda de 8.030.000 carros em cerca de 200 países. Além da AvtoVAZ, a Aliança tem colaborações estratégicas com fabricantes de automóveis como a alemã Daimler, a chinesa Dong Feng e fabricantes regionais como Ashok Leyland na Índia.
Quanto à Russian Technologies, trata-se de uma empresa russa criada em 2007 para facilitar o desenvolvimento, produção e exportação de produtos de alta tecnologia industrial para fins civis e militares. A empresa tem 12 participações na indústria de defesa e cinco em sectores da indústria civil, fornecendo produtos para os mercados de mais de 70 países.
Já a AvtoVAZ, o maior fabricante de automóveis da Rússia, produzindo veículos das marcas Lada e Nissan. A marca Lada começou na década de 1960 com a ajuda da Fiat e tem sido dominante na Rússia (anteriormente na ex-URSS) desde há várias décadas.
Um dos seus protótipos mais espectaculares que, em meados de 2012, abrilhantou o Salão Automóvel de Moscovo é este Lada XRay. Um projecto que, sem qualquer surpresa, se adivinha desenvolvido a partir do Nissan Juke.

Procura automóvel novo, usado ou acessórios? Quer saber mais sobre este ou sobre outro veículo?

Sem comentários