Header Ads

ENSAIO: Hyundai i20 1.1 CRDi

Quando tudo indicava que, por razões comerciais, a Hyundai iria escolher o Veloster ou o novo i30 como seu representante desportivo, eis que a opção recaiu sobre o i20. Por curiosidade, fomos testar a sua versão civil mais económica. Competente e económico, este motor de três cilindros proporciona um i20 suficiente ágil em cidade, embora mais limitado em estrada, sobretudo em situações de maior carga. O trunfo é permitir que a versão mais acessível seja vendida por pouco mais de 14 mil euros, o que, para um económico “diesel” de 5 portas e 5 lugares, é francamente competitivo. Tanto para particulares como para empresas.


A decisão de escolher um conjunto mais pequeno e leve do que o i30 ou o Veloster para competir no campeonato do Mundo de ralis faz sentido, porque as regras actuais do WRC limitam o motor dos carros concorrentes a 1,6 litros (ler AQUI mais sobre o assunto).
Por isso, em 2014, os principais adversários do Hyundai i20 irão ser, se não houver alterações em relação a este ano, o Citroen DS3, o Ford Fiesta e o VW Polo, todos representantes do mesmo segmento do utilitário coreano.
O resultado estético do novo modelo de competição, a avaliar pelas imagens entretanto reveladas, é francamente bem mais atraente do que a silhueta da versão “civil”.
Efectivamente, o i20 apresenta uma estética algo discreta e um pouco deslocada da beleza das criações mais recentes da marca, e nem uma recente remodelação de que foi alvo beneficiou muita coisa nesse aspecto. (mais pormenores no TEXTO de apresentação do i20)

Um verdadeiro utilitário

Na verdade, em Portugal não é comercializada a versão de 3 portas que constitui a base da versão WRC, existindo somente a variante mais familiar de 5, equipada com o motor a gasolina 1.2 (conferir AQUI o ensaio a este motor), ou este “diesel” 1.1 com 75 cv.
Este motor a gasóleo é uma das grandes novidades introduzida com a renovação do i20, permitindo que a versão mais acessível seja vendida por pouco mais de 14 mil euros. O que, para um económico “diesel” de 5 portas e 5 lugares, é francamente competitivo.
Tanto para particulares como para empresas.
Este preço é possível graças à presença de um sistema “start/stop”, responsável pela redução das emissões e consequente obtenção de benefícios fiscais.
Face à exiguidade mecânica de um bloco compacto de 3 cilindros, não se espere grande desempenho mecânico. Embora um binário razoável lhe permita cumprir cabalmente a sua função de economia em ambiente urbano e permita suficiente desembaraço, ajudado por uma grande facilidade de manobra.
Mas, em estrada, acaba por ser muito necessária a colaboração da caixa de seis velocidades, como forma de contornar a falta de vivacidade do conjunto, sobretudo quando se encontra na sua lotação máxima.
Ágil na cidade e bastante estável e seguro em estrada, ou perante manobras de emergência, o Hyundai i20 1.1 CRDi retira para isso vantagem de dispor, de série, de controlo de estabilidade.

Interior funcional

No interior, quer a qualidade dos materiais como de construção satisfazem, bem como a habitabilidade que não sofreu alterações, ou a capacidade da mala que assegura uns simpáticos 295 litros de capacidade.
Efectivamente, o espaço traseiro é satisfatório e, apesar da predominância de plásticos mais rígidos (na linha dos concorrentes da categoria), os acabamentos cuidados e a insonorização revelam solidez e qualidade.
Além disso, o habitáculo é extraordinariamente funcional, com linhas actuais e práticas, disponibilizando pequenos espaços em número suficiente e ligações para fontes de som externas.
Uma das novidades que a renovação do i20 trouxe foi a adição ao equipamento de uma câmara de estacionamento traseira (com imagens projectadas no retrovisor) ou a “chave inteligente”. A primeira vem auxiliar bastante as manobras, apesar da grande superfície vidrada já permitir uma boa visibilidade para o exterior.
Mais pormenores sobre novidades de equipamento constam neste TEXTO, elaborado por alturas da apresentação do modelo em Portugal.

Dados mais importantes
Preço desde
13 900 euros (Blue One)  + despesas
Motor
1120 cc, 75 cv às 4000 rpm, 180 Nm das 1750 às 2500 rpm, turbo, intercooler, injecção directa Common rail, sistema start/stop
 Prestações
160 km/h
Consumos (médio/estrada/cidade)
3,2 / 3,0 / 3,8 litros
Emissões Poluentes (CO2)
84 gr/km

Procura automóvel novo, usado ou acessórios? Quer saber mais sobre este ou sobre outro veículo?

Sem comentários