Header Ads

APRESENTAÇÃO: Kia pro-Cee'd ou Cee'd coupé. Versões Cee'd GT com 204 cv!

Construído na Europa a pensar nos seus consumidores, aquela que sempre foi a versão mais empolgante e desejada da gama Ceed tornou-se  mais sedutora ao olhar e, claro está, ainda mais desportiva. Falamos obviamente daquele que entre nós é conhecido como Ceed Coupé (ver AQUI o ensaio à geração anterior), finalmente disponível em Portugal  equipado com o motor 1.6 CRDI com 128 cv. Mas se essa é uma versão muito ajustada à realidade nacional, a grande novidade serão as versões GT (que poderão também ser de 5 portas) motorizadas com o bloco turbo 1.6 a gasolina com 204 cv de potência máxima. Exactamente o mesmo motor que utiliza o Hyundai Veloster (ver AQUI) e que equipa a versão de competição i20 WRC (mais pormenores AQUI) que competirá no campeonato do próximo ano. Vamos então conhecer um pouco melhor o novo Ceed Coupé.

O coupé é a versão de 3 portas da nova geração cujo TEXTO DE APRESENTAÇÃO pode ser lido AQUI.
Quanto à versão familiar KIA Ceed Sportswagon eis o respectivo TEXTO DE APRESENTAÇÃO.
O resultado de um primeiro ensaio, realizado em Janeiro de 2013, tanto às versões de 5 portas como SW equipadas com o motor 1.4 CRDi encontra-se AQUI.
O Ceed Coupé é um conjunto com 4310 mm de comprimento, uma largura de 1.780 mm e uma distância entre eixos de 2.650 mm.
Em relação à versão de 5 portas (ler AQUI o texto de apresentação da nova geração) é 4 cm mais baixo e o pilar central recuou 2,2 cm para permitir portas de maior dimensão. Daqui para traz tudo é naturalmente diferente. No entanto, a secção dianteira também sofreu alterações ao nível do desenho da grelha e dos faróis de nevoeiro, resultando daí uma aparência mais afilada, agressiva e emocional.
Várias partes importantes da carroçaria - tejadilho, partes laterais e traseira - foram reforçados de forma a garantir maior rigidez e segurança. As portas dianteiras cresceram 27 cm para melhorar a acessibilidade traseira e a harmonia das linhas e, tal como já acontecia com a geração anterior, a parte traseira é caracterizada por um vidro com inclinação acentuada. Todo o conjunto óptico traseiro foi também remodelado, com parte da iluminação colocada agora numa tira na parte inferior do pára-choque.
No Kia Ceed GT as diferenças são ainda mais vincadas, tanto nas zonas dianteiras como traseira. Ganha vistosos pára-choques frontais com volumosas entradas de ar, nova iluminação Led e jantes  maiores de 18 polegadas, através das quais despontam pinças de travão vermelhas.
Além de uma variedade de acabamentos especiais de pintura, as versões GT ostentam uma traseira ainda mais agressiva e, de novo, com inédita iluminação Led, embora todas as revelações se façam na dupla saída de escape, uma em cada extremidade da carroçaria.

Interior

Poucas ou nenhumas alterações se verificaram no interior face às outras formas de carroçaria, salvo naturalmente as que respeitam à parte traseira e respectivos acessos. Para vincar a propensão mais desportiva da versão algumas aplicações foram acrescentadas.
A capacidade da mala é idêntica à versão de 5 portas - 380 litros - ou de 1.225 litros com os assentos traseiros rebatidos. Existem pequenos compartimentos na parte dianteira e traseira, na consola central e sob o piso da bagageira.
As versões GT são naturalmente mais ricas do ponto de vista estético. Além dos bancos Recaro ou dos pedais em alumínio, no painel de instrumentos desponta um ecrã multifunções que permite ao condutor alternar as informações entre o tipo analógico ou  digital.
Este último fornece indicações sobre a velocidade do carro, o binário do motor, a pressão do turbo e a temperatura do líquido de refrigeração do motor, bem como informações úteis sobre a viagem.
Um botão com a indicação "GT" colocado no volante permite ao motorista alterar a exibição sem tirar a mão do volante.
Por fim, os bancos Recaro com acabamentos em couro e camurça com costura vermelha recebem ajuste lombar. O contraste desportivo entre o preto e o vermelho poder prolonga-se no volante e no manípulo da caixa de velocidades, havendo ainda lugar para vários itens de acabamento preto brilhante.

Motorizações

Olhemos agora para a parte mais importante de um carro com características desportivas.
O novo Kia Ceed Coupe está disponível com motores a gasolina de 1.6 litro GDi ou o 1.6 litros turbodiesel CRDi. Naturalmente em Portugal só está a ser comercializado este último com um preço final que ultrapassa muito pouco os 26 mil euros, sem pintura metalizada (mais 290 euros).
O 1.6 CRDi com caixa manual de 6 velocidades oferece 128 cv a 4.000 rpm e um binário de 260 Nm disponíveis das 1900 às 2750 rpm. A velocidade máxima anunciada é de 197 Km/h e demora 10,9 segundos para cumprir os tradicionais 0 aos 100 km/h. Dotados de ISG (especificações como start/stop, recuperação de energia, etc.), as emissões oficiais de CO2 são de 112 g/km e os consumos anunciados de 5,1 (urbano), 3,8 (extra-urbano) e 4,3 (combinado).
Quanto às versões GT, as mais potentes da gama Kia Cee`d e que estarão disponíveis quer nas versões de 3 como de 5 portas (no início de 2014), não têm qualquer anúncio quanto à sua comercialização em Portugal).
O motor a gasolina turbo de 1,6 litro motor fornece 204 cv de potência máxima e 265 Nm de binário constante das 1750 rpm às 4.500 rpm. Este motor tem injecção directa e é o mesmo que equipa algumas versões do Hyundai Veloster (ver AQUI).
Além do reforços de alguns componentes estruturais como a suspensão (molas e amortecedores com nova afinação e uma espessa barra estabilizadora traseira), mantém-se a caixa manual de seis velocidades de série (embora naturalmente reconfigurada ao nível das relações) e a tracção dianteira.
O consumo médio anunciado é de 7,4 l/100 km e as emissões de 171 g/km de CO2. A velocidade máxima de 230 km/h, enquanto a aceleração dos 0 aos 100 km/h se faz em 7,7 segundos
Com uma ligeira melhoria do coeficiente aerodinâmico, monta pneus 225/40 R18 e tem discos de travão de 300 mm ventilados nas rodas dianteiras.
É ainda um dos poucos carros da sua categoria com suspensão traseira independente, resultando daí vantagens sobre o comportamento, mas também sobre a agilidade, segurança e, sobretudo, prazer de condução.
A direcção variável com o sistema Flex Steer, presente em (quase) toda a gama Ceed, permite ao condutor escolher entre três diferentes níveis de assistência. Mas nas versões GT esta possibilidade não existe, de forma a proporcionar ao condutor uma maior sensibilidade e uma resposta mais directa.

-->

Sem comentários