Header Ads

Um português é campeão europeu da GT ACADEMY 2013

Tudo começa numa consola de jogos para acabar em pista a correr contra os melhores. E em 2013, Miguel Faísca, um português de 24 anos, sagrou-se o vencedor da edição europeia da GT Academy. Esta iniciativa anual é um programa original realizado pela Nissan e pela PlayStation® para descobrir talentos da competição automóvel entre milhares de jogadores virtuais. O vencedor ganha uma temporada de competição ao volante de um Nissan GT-R Nismo de GT3. Não um carro de jogo virtual, mas sim um bem a sério, com quatro rodas, um potente motor e muito mais para descobrir. Por isso, o nosso estudante de Lisboa começa em Outubro um programa intensivo de Desenvolvimento de Pilotos, juntamente com os vencedores da Alemanha, Rússia e Estados Unidos. E, se tudo correr como previsto, em 2014 iremos vê-lo a competir, a sério, com um espectacular Nissan GT-R Nismo num campeonato de GT3.

Mais de 765 mil jovens de 16 países europeus entraram na competição deste ano da GT Academy, utilizando uma demo especial do próximo jogo Gran Turismo®6 para a PlayStation®3.
Após uma série de provas de selecção, 42 jogadores, finalistas das várias regiões europeias, juntaram-se no Circuito de Silverstone, no Reino Unido, para o exigente Race Camp, o processo de selecção final que os elevaria de jogadores virtuais a pilotos reais.
Orientados e avaliados por um painel de jurados e mentores de elite que inclui os antigos pilotos de Fórmula 1 Johnny Herbert, René Arnoux, Stefan Johansson e Vitantonio Liuzzi, os 42 jogadores foram divididos em sete grupos. Uma sequência de desafios físicos e mentais e uma série de competições que testaram a sua habilidade de condução viu o número dos jogadores seleccionados diminuir sucessivamente ao longo da semana. Condição física, atitude, força psicológica e potencial de condução foram os parâmetros em análise.
Quando apenas restou um participante de cada grupo iniciou-se a competição final do Race Camp. Os participantes utilizaram para estas sessões de treino e de qualificação os Nissan 370Z Nismo de competição.
Desde o primeiro dia, no Race Camp do Circuito de Silverstone, os sete participantes, que não tinham qualquer experiência em competição automóvel real, completaram em apenas uma semana os testes necessários para obterem a Licença Básica de Competição ARDS. Superaram também vários desafios e sessões de treino que prepararam estes jogadores de consola para a pista e para a competição final.
Após várias eliminatórias de selecção, a grelha de partida da última corrida foi constituída por Miguel Faísca e por representantes da Bélgica, Suécia e Reino Unido. Um pião em piso molhado do representante belga permitiu que Miguel passasse para a liderança, posição que não mais largou apesar das investidas de alguns adversários.


Declarações mais importantes

Miguel Faísca: "Não esperava ganhar esta manhã. Mas estava a sentir-me bem com o automóvel e com a pista, e gosto bastante da condução à chuva. Não tive uma boa partida e comecei em segundo. Quando consegui a liderança foi bastante difícil mantê-la, mas estou muito feliz. É fantástico ser o primeiro vencedor português!", declarou Miguel Faísca

Simon Fitchett, Director de Performance da GT Academy: “O Miguel teve muito boa atitude. Ele é muito inteligente e está também em muito boa forma; preparou-se muito bem fisicamente para esta competição, porque queria estar em boa forma, e estava. Eu acho que ele também mostrou durante a semana que é mentalmente forte, está disposto a aprender, ouve e faz o que lhe é aconselhado. Acho que é por isso que o vimos progredir tão bem esta semana. A sua curva de melhoria tem sido imensa, tornou-se mais e mais rápido, e cresceu na competição à medida que ia ficando mais confiante. Penso que ele mostrou isso mesmo hoje. Aproveitou bem a sua oportunidade bem, partiu para liderar a corrida e fê-lo até ao fim. Ele fez tudo o que era esperado dele em ambas as corridas, vencendo ambas, e não se pode pedir muito mais do que isso.”

Johnny Herbert, Juiz principal: “A corrida mostra normalmente a verdadeira coragem que eles têm. O Miguel foi capaz de passar para a frente, o que nunca é fácil, mas uma vez que se está na frente, não temos nada à nossa frente, estamos sempre a olhar pelos espelhos, podemos ver os outros concorrentes a aproximar-se, como foi o caso do Adam, e tempos de ser capazes de manter o sangue frio. O Miguel fez isso. Ele fez um bom trabalho ao controlar a corrida. O Adam estava a registar também algumas voltas muito rápidas, mas era impressionante como Miguel era capaz de controlar a pressão lançada sobre ele, vencer a corrida e fazendo-o sem cometer erros. Julgo que é por isso que nós concordamos que ele era o concorrente que ao longo de toda a semana tinha sido forte e, na altura certa, quando era necessário, foi capaz de entregar resultados. Isso é exactamente o que precisamos na GT Academy.”


Os progressos do novo Campeão Europeu da GT Academy podem ser seguidos em várias plataformas:
-->

Sem comentários