Header Ads

ENSAIO: Nissan Micra 1.2 DIG-S/98 cv (MY 2014)

Modelo que o público feminino muito preza, o Micra conheceu um autêntico apuro de forma e de estilo. Além de passar a contar com um look totalmente novo à frente e atrás, foram-lhe acrescentadas duas novas cores e novas jantes de liga leve, com 16 e 15 polegadas consoante a versão. O interior recebe uma nova consola central, novos acabamentos e mais equipamento, entre os quais um centro de comunicações totalmente novo, que é controlado através de um ecrã táctil de maiores dimensões. Quanto a motores não há novidades: a unidade base continua a ser o bloco de 3 cilindros de 1,2 litros com 80 cv, em destaque continua a estar a versão DIG-S deste mesmo motor, mas com 98 cv. Preços em Portugal a partir de 12.350 euros.

O Nissan Micra (ou March em alguns mercados) foi o primeiro automóvel de uma marca japonesa a conquistar o troféu "Carro do Ano" na Europa. Estávamos então em 1993 e tratava-se da segunda geração deste popular compacto japonês.
De então para cá conheceu mais duas gerações. A actual versão, agora tratada, mais não é do que um lavar de rosto da 4.ª geração, com uma frente mais ousada e que estabelece uma ligação com a imagem actual da marca. Além, claro, de pequenos retoques no interior e da adição de mais equipamento.
No que toca a motores não há grandes novidades. A unidade base continua a ser o bloco de 3 cilindros de 1,2 litros com 80 cv, com emissões de CO2 inalteradas nas 115 g/km e preços a partir dos 12.350 euros.
Detalhes mais completos de motor e de equipamento constam do TEXTO DE APRESENTAÇÃO deste modelo.

Potência evidente

Mas o maior destaque continua a ir, por inteiro, para a variante de motor DIG-S que equipa apenas as versões mais bem apetrechadas. Com o mesmo “três cilindros” a funcionar sob o ciclo Miller (com uma taxa de compressão de combustível mais elevada no momento da explosão) e a ser sobrealimentado por um pequeno compressor, a potência sobe para os 98 cv e as emissões de CO2 reduzem-se a 99 g/km.
A entrega de potência é eficaz e célere, o que lhe permite movimentar-se com bastante agilidade em cidade. A pronta resposta do acelerador é também uma vantagem na estrada, já que, além de rápido, o Micra DIG-S recupera com facilidade. Mesmo assim, há necessidade de executar algum trabalho com a caixa de velocidades. Não porque as relações sejam demasiado longas ou poupadas, antes porque este motor só reage de forma convincente acima das 4000 rpm. Altura em que mostra realmente o bom binário (147 Nm) que este pequeno motor dispõe.
Isso faz com que, embora seja possível manter a velocidade sempre que a estrada é plana, há necessidade de reduzir uma ou duas mudanças para conseguir conservar o andamento. A situação é tanto mais notória quando a lotação está completa.
A favor desta versão, está o baixo nível de ruído do motor e a total ausência de vibrações de um bloco que tem, recorde-se, três cilindros. Nesse aspecto é notável, tal como os consumos comedidos registados no final do ensaio: médias de 5,5 litros numa condução normal, pouco acima dos 6,0 litros quando aumentava a exigência dinâmica.
Em grande medida, esta contenção de consumos é possível porque o compressor volumétrico desliga-se automaticamente a baixa velocidade ou quando não existe necessidade de mais potência. Singularidade curiosa e que alguns certamente apreciarão, a reentrada em acção deste compressor é acompanhada por um aumento um pouco mais brusco da velocidade.

Alterações beneficiaram a imagem

As mexidas no interior do renovado Nissan Micra talvez não aparentem ter sido muitas, mas a verdade é que elas resultaram numa visão mais agradável e numa maior funcionalidade. À excepção de alguns botões à esquerda do volante, embora não sejam de manuseio assíduo.
Veja AQUI um ensaio feito à geração anterior.
Tem agora um tablier mais sóbrio, com saídas de ar mais discretas, uma consola central redesenhada e grafismo dos instrumentos melhorado. O interior continua a ser constituído por peças de plástico rígido mas aparentemente bem fixas e resistentes. A qualidade parece também ter melhorado ou, então, o acabamento a preto brilhante da consola central e o toque prateado da alavanca das mudanças assim fazem parecer. Também não se pressentem ruídos parasitas, sendo apenas de destacar a pouca atenção dada à zona da mala, com uma chapeleira frágil e pouco firme nos seus encaixes.
A superfície vidrada ampla torna o habitáculo luminoso. Não é dos mais espaçosos da categoria, nada que impeça uma boa posição de condução para um condutor de estatura mediana. 
O banco traseiro tem capacidade para acomodar facilmente duas pessoas mas, como é costume em modelos deste tamanho, falta espaço para um terceiro ocupante. Por falar em espaço, mantém-se o disponível para a bagageira: 265 litros ou um máximo de 605 l com os bancos traseiros rebatidos. Não há pneu suplente.

Citadino preparado para a estrada

Carro que continua a ter uma condução muito fácil e agradável em cidade, porque as dimensões lhe permitem boa capacidade de manobra e uma excelente visibilidade para o exterior, o Nissan Micra conta também com uma direcção correctamente assistida e com uma caixa de velocidades de manuseamento suave e preciso. 
Parte integrante do nível Tekna (de 15.700 a 17.300 euros) é o sistema Nissan Connect
Mais evoluído, com novas funcionalidades e um ecrã maior de 5,8 polegadas, tem comandos simples, directos e intuitivos. Entre as vantagens está um navegador que permite escolher as rotas em função não apenas do tempo ou dos custos, mas também das que requerem menor gasto de combustível. Passa a ser possível planear a rota num computador ou tablet e depois transferi-la para o automóvel. A pesquisa e acesso a Pontos de Interesse (POI) do Google facilita a pesquisa de preços de combustível a nível local, previsões meteorológicas e informações sobre voos.
O navegador passa também a ter gráficos mais detalhados das saídas de estrada e informações sobre os limites de velocidade de cada via, complementado por um aviso sonoro quando excedido o valor legal.

Dados mais importantes
Preços (euros)
Desde 16.700 (Tekna Sport*)
Motor
1198 cc, 3 cil., 12 V, 98 cv às 5600rpm, 147 Nm às 4400 rpm
Prestações
183 km/h, 11,4 seg. (0/100 km/h)
Consumos (médio/estrada/cidade)
4,3 / 3,7 / 5,2 litros
Emissões Poluentes (CO2)
99 gr/km
(*) Sem despesas administrativas e de transporte

Sem comentários