Header Ads

APRESENTAÇÃO: Citroën C4 Collection THP 130 (MY 2014)

- Consome 23% menos que o seu antecessor mas tem mais 10 cv de potência: 110 g/km de CO2 e 4,8 l/100 km em ciclo misto
- A potência é de 130 cv às 5.500 rpm e o binário máximo de 230 Nm às 1.750 rpm.
- A estreia no Citroën C4 é feita através da Série Especial Collection que tem um preço de 22.282 euros (não inclui despesas preparação e averbamento e demais taxas)
- Este valor pode descer até aos 17 990 euros. Condições válidas para clientes particulares com inclusão de oferta promocional Citroën e valorização de uma viatura usada com mais de 10 anos
- Equipado com a tecnologia Stop&Start, o bloco a gasolina PureTech Turbo 1.2 e-THP 130 já cumpre a exigente norma Euro6 que vigorará a partir de 1 de Setembro de 2015.

Após o lançamento do motor de três cilindros a gasolina nas suas versões atmosféricas (1,0 litros de 68 cv e 1,2 litros de 82 cv), a família PureTech vê-se agora complementada com a introdução deste bloco turbo desenvolvido com base na mesma arquitectura de 3 cilindros das versões atmosféricas, com as quais partilha 37% das peças.
Compacto, de baixo peso e dimensões muito reduzidas, o e-THP 130 adopta uma caixa manual de 6 velocidades.
Este bloco a gasolina permite uma redução de consumos e emissões comparativamente aos motores da geração anterior. Designadamente a motorização 1.4 VTi de 120 cv.
As emissões são de 110 g/km de CO2 em lugar dos 143 g/km do seu antecessor de 4 cilindros e consome 4,8 l/100 km em ciclo misto, apesar da potência adicional de 10 cv.
Dotado de um turbo-compressor de nova geração de elevada performance (240 000 rpm), o motor e-THP 130 oferece a melhor relação entre binário a baixo regime e potência, com 95% dele disponível a partir das 1500 rpm até às 3500 rpm.
No capítulo do conforto acústico, houve um aturado trabalho ao nível das fontes de ruído do motor (injecção de elevada precisão), mas também a nível do próprio veículo, com a integração de elementos absorventes de ruído específicos.

 Reforço da gama C4 com preços a partir de 20 383 euros

A gama C4 passa a estruturar-se em torno de 12 variantes, divididas entre dois blocos a gasolina e três diesel, associados a caixas de velocidades manuais (CVM de cinco velocidades e CVM6 de seis) e manuais pilotadas (ETG6 de seis relações).
Após os 20 383 Euros da versão de entrada na gama (C4 1.4 VTi 95 CVM Attraction), destacam-se os 22 282 Euros do novo Citroën C4 1.2 e-THP 130 CVM6 Collection.
Um PVP que poderá ver-se reduzido até aos 17 990 Euros, caso o cliente tenha uma viatura com mais de 10 anos para retoma.
Esta Série Especial, exclusiva em termos de conteúdos, assenta no segundo nível de equipamento. Entre outro equipamento conta com:
- ar condicionado automático
- rádio MP3 com "connecting BOX" e "kit" mãos-livres Bluetooth
- ajuda ao estacionamento traseiro,
- jantes de liga leve de 16 polegadas
- faróis de nevoeiro com "cornering lights"
- vidros escurecidos com frisos cromados
- volante em cabedal.
Esta Série Especial está disponível em nove cores: dois brancos (Branquise e Nacarado) e dois cinzas (Aluminium e Shark), no azul Bourrasque, no vermelho Babylone ou no preto Perla Nera, para além do castanho Hickory e do beje Mativoire.
Os estofos são em tecido Hermitage.

Características do motor

O sistema de combustão foi particularmente desenvolvido para fazer o melhor uso das tecnologias incorporadas no motor. Em particular a adopção de uma injecção directa de elevada pressão (200 bar) em posição central. A posição do injector, a forma do jacto (graças à tecnologia de laser) e a gestão dos impulsos de injecção (máximo de 3 por combustão) e da própria pressão garantem uma pulverização ideal de gasolina na câmara de combustão, a fim de obter a melhor combustão possível.
Os consumos e as emissões de gases poluentes diminuíram graças à optimização da aerodinâmica interna da câmara de combustão e da integração de uma sincronização variável das válvulas de admissão e de escape.
O principal objectivo no desenvolvimento deste motor foi limitar as perdas por fricção da mecânica, que representam cerca de 20% da potência consumida. A dimensão da cambota, a descentragem dos cilindros e o accionamento da distribuição por correia húmida contribuem para o resultado de conjunto.
O revestimento de baixa fricção DLC (Diamond Like Carbon) é usado nos eixos dos pistões, nos segmentos e nas "touches" para limitar a fricção.
Finalmente, a bomba de óleo pilotada permite uma correcta gestão do processo de lubrificação. O atrito viu-se, portanto, reduzido em 30% em comparação com as melhores propostas da concorrência.

-->

Sem comentários