Header Ads

APRESENTAÇÃO: Škoda Rapid (MY 2013)

A marca checa estreia-se nesta classe com um modelo que deseja tornar-se referência em termos de espaço no segmento dos pequenos familiares. O novo Rapid recupera uma designação clássica mas, desde o design jovial à gama de equipamento, esta berlina compacta e utilitária recorre às mais modernas soluções existentes dentro do grupo construtor do qual a Škoda faz parte. Partilha por isso muitos elementos com o Seat Toledo. Na fase de lançamento em Portugal existem duas motorizações a gasolina – 1.2 MPI (75 cv) e 1.2 TSI com potências de 86 e 105 cv, um bloco diesel 1.6 TDI com 105 cv e três níveis de equipamento: Active, Ambition e Elegance. A Škoda prossegue assim a ofensiva no mercado com a apresentação deste novo familiar compacto, a que se seguirá a terceira geração do Octavia. Preços a partir de 16650 euros.

Depois do citadino Škoda Citigo, este novo modelo irá desempenhar um papel central na estratégia de crescimento da marca. Ao inserir-se entre as gamas Fabia e Octavia, posiciona-se numa categoria que é, actualmente, responsável por cerca de 36 por cento do mercado a nível mundial. No seio dela, as versões berlinas possuem uma quota de cerca de 42 por cento, estimando-se um crescimento de cerca de 50 por cento até ao ano de 2020.
Apesar das dimensões compactas do exterior - 4,48 metros de comprimento, 1,7 metros de largura e 1,46 m de altura, o Rapid garante também espaço para cinco ocupantes e respectivas bagagens (área da mala: 550 litros!), além de dar continuidade à eficaz estratégia há muito definida pela marca: a melhor relação preço/qualidade como ainda um equipamento muito completo e abrangente e uma segurança ao mais alto nível.

Preços para o mercado português

Segue-se a tabela completa de valores incluindo o custo dos opcionais:



Motores de elevada eficiência energética

Na fase de lançamento em Portugal estarão disponíveis dois motores a gasolina – 1.2 MPI com 75 cv e 1.2 TSI com potências de 86 e 105 cv - e um bloco diesel 1.6 TDI com 105 cv.
A oferta de transmissões é repartida entre duas caixas manuais de 5 e 6 velocidades.
Em termos de emissões de CO2 os valores estão compreendidos entre 104 e 134 g/km.
O motor a gasolina 1.2 MPI é um bloco de três cilindros com uma potência de 75 cv, apresentando um consumo combinado de combustível de 5,9 litros aos 100 km e emissões CO2 de 134 g/km. O binário máximo é de 112 Nm às 3750 rpm. A configuração deste motor foi optimizada através de modificações no coletor de admissão e de escape que permitiram elevar a potência do motor em comparação com a disponível em outros modelos da Škoda. A velocidade máxima é de 175 km/h e a aceleração 0-100 km/h é de 13,9 segundos.
Já o motor 1.2 TSI, de 4 cilindros, debita uma potência de 86 cv, um binário máximo de 160 Nm entre as 1500 e as 3500 rpm e um consumo combinado de 5,1 litros aos 100 km. A aceleração 0-100 km/k é de 11,8 segundos e a velocidade máxima atinge os 183 km/h, enquanto as emissões de CO2 são de 119 g/km.


Estes dois motores de 1.2 litros estão equipados com uma caixa manual de 5 velocidades.
A variante mais potente deste bloco 1.2 litros TSI possui uma potência de 105 cv e um binário máximo de 175 Nm entre as 1550 e as 4100 rpm, emitindo 125 g/km de emissões de CO2. Este motor está equipado com uma transmissão manual de seis velocidades. O consumo combinado de combustível apresenta um valor de 5,4 litros aos 100 km. A aceleração 0-100 km/h é de 10,3 segundos e a velocidade máxima de 195 km/h.
A oferta diesel do Škoda Rapid, nesta fase inicial de venda no mercado português, está entregue ao motor 1.6 TDI com sistema de injecção de alta pressão common-rail. Equipado com um filtro de partículas debita uma potência de 105 cv (77 kW) e um binário máximo de 250 Nm entre as 1500 e as 4400 rpm. O consumo combinado de combustível é de 3,9 litros aos 100 km e as emissões de CO2 são de 104 g/km. O Rapid 1.6 TDI acelera dos 0-100 km/h em 10,4 segundos, sendo a velocidade máxima de 190 km/h.


Design realça nova sinalética da marca

Por outro lado, o Rapid é igualmente o primeiro modelo da Škoda a exibir a nova linguagem de design da marca.
Com proporções harmoniosas, superfícies bem definidas e linhas fortemente vincadas, a parte dianteira realça a nova forma dos elementos de design da marca checa.
O novo logótipo desponta de entre os vincos da parte central do capot, enquanto a moldura cromada da grelha, com barras verticais, estabelece a ligação entre faróis que possuem um toque desportivo. Os generosos grupos ópticos que se destacam na parte dianteira do Rapid são complementados por uns igualmente volumosos faróis de nevoeiro, ornamentando uma secção dianteira com um pará-choques “limpo” e bastante rectilíneo.
Lateralmente, a emoção está presente nos vincos que estabelecem uma ponte entre os eixos, numa silhueta que disfarça a presença do terceiro volume e aproxima o conjunto da imagem de um coupé. Por isso, na parte traseira, o grande portão não é simplesmente funcional mas integra o design e, aqui sim, descobrem-se faróis com muito pouco de inédito.


Procura automóvel novo, usado ou acessórios? Quer saber mais sobre este ou sobre outro veículo?

Sem comentários