Header Ads

APRESENTAÇÃO: Motor 1.5 a gasóleo SKYACTIV-D estreia no novo Mazda2 (MY 2015)

- A motorização SKYACTIV-D 1.5 irá progressivamente estender-se à restante gama: o próximo a recebê-lo será o novo Mazda3
- O bloco partilha muitos conteúdos com o seu semelhante motor diesel SKYACTIV-D 2.2 disponível nos Mazda CX-5 e Mazda6
- Contará com o sistemas i-stop, de paragem/arranque, e i-ELOOP, de regeneração da energia de travagem


O “concept” Mazda Hazumi é a base para o novo Mazda2 (ler AQUI mais detalhes).
O protótipo revelado em Genebra tem cinco portas e é maior em comprimento e largura do que o actual Mazda2, e 3 cm mais baixo. De distância entre eixos tem mais 10 cm (2,59 metros em vez dos actuais 2,49 m.
A novidade deste protótipo é, no entanto, a revelação de um novo motor Diesel SKYACTIV-D 1.5, do qual é apenas revelado possuir emissões de CO2 inferiores a 90 g/km, equivalente a um consumo de menos de 3,4 l/100 km.
Foi desenvolvido para obter a combustão ideal, independentemente da sua muito baixa taxa de compressão.
Isso é alcançado com uma queima mais homogénea e mais abrangente, menor resistência mecânica e uma nova tecnologia de isolamento para combater as perdas resultantes da maior refrigeração associada a um motor mais pequeno.
Daí tratar-se de um bloco eficiente e limpo, com níveis de economia de consumos e emissões que cumprem a norma Euro 6, sem ter de recorrer aos caros sistemas de pós-tratamento de gases de escape.
O novo Mazda2 virá equipado com a totalidade dos conteúdos da Tecnologia SKYACTIV, incluindo as ultra eficientes transmissões de seis velocidades SKYACTIV-Drive 2/2 (automática) e SKYACTIV-MT (manual).
Este conjunto de características permitem ao motor mostrar-se dinâmico desde o arranque até ao anormalmente elevado “redline”.
Contará, também, com os sistemas i-stop, de paragem/arranque, e i-ELOOP, de regeneração da energia de travagem.

Em resumo, estas são as do SKYACTIV-D 1.5:

- Tecnologia de transição de modo de combustão e injectores de solenoide de elevada dispersão com vista à redução das perdas de arrefecimento
- Recirculação de gases a alta e baixa pressão usada para aumentar a gama homogénea de queima linear, melhorando os consumos e a sensação em termos de performance
- Válvulas de controlo do arrefecimento da água e dispersores de água para melhorar a eficiência da combustão ao mesmo tempo que se reduz a resistência mecânica
- Turbo de geometria variável com sensor de rotação para oferecer uma pressão de ‘boost’ ao longo de todo o leque de rotações do motor
- “Intercooler” integrado na admissão

-->

Sem comentários