Dicas para comprar automóvel novo ou usado

Neste texto vai encontrar algumas razões que podem tornar a compra de carro usado melhor negócio do que a compra de carro novo.

A seguir, vamos deixar alguns conselhos que podem ajudar a fazer a opção mais adequada.

Por regra, a escolha de um automóvel pertence ao domínio do emocional.

De facto, desejamos determinado carro por causa das formas, por causa da cor, pela sensação que nos transmite quando o admiramos ou conduzimos e até pela forma como achamos que vamos ser avaliados por outras pessoas.

Por isso, muitas, estamos dispostos a fazer alguns sacrifícios para adquirir ou manter determinado automóvel.

Porém, salvo raríssimas (e dispendiosas) excepções, o automóvel é o bem que mais desvaloriza ao longo do tempo e um dos que mais rapidamente beneficia de evoluções e de novidades atraentes.

Então, se quer fazer uma boa compra deve ler o que vem a seguir.



Quanto quero gastar ao comprar carro

Tomada a resolução de adquirir um automóvel, novo ou usado, a primeira decisão deve ser limitar o valor que estamos dispostos (ou podemos) investir.

Ao fazer isso, vamos conseguir controlar melhor as nossas emoções e tomar decisões mais racionais.

A aquisição sem recurso ao crédito, nem sempre facilita o negócio.

Como explicámos neste texto, a maioria dos comerciantes recebe comissões das instituições financeiras.

Mas a compra “a pronto pagamento” é essencial quando se negoceia com um cliente particular.

Por isso, se não tiver capital próprio, deve indagar antecipadamente formas de obter financiamento junto do seu Banco.

Se recorrer ao crédito, não deixe de comparar a proposta sugerida pelo vendedor com a do seu Banco ou de outras instituições financeiras que fornecem crédito automóvel.

A segunda decisão é também muito importante: definir que tipo de automóvel quer comprar.

Precisamos de um carro utilitário, de um modelo mais familiar com mais espaço de carga, um carro para a vida profissional, a gasolina, a gasóleo, eléctrico, com até quantos anos no caso de ser usado…

Ou desejamos um carro mais desportivo?

Neste ponto vai ter de ser flexível.

A primeira decisão (o valor disponível para comprar um automóvel) pode condicionar o segundo.

Talvez tenha de ajustar alguns parâmetros do segundo factor ou rever a primeira decisão.

Em todo o caso, tenha presente o tipo de utilização que vai dar ao automóvel. 

De forma constante e não esporádica, ou seja, na maioria das vezes que o vai utilizar.

A aquisição de um carro a gasóleo, por exemplo, é um erro, se o formos utilizar para deslocações curtas e ocasionais.

Por muito atraente que possa parecer no início, por causa do preço do gasóleo e dos consumos, os motores a gasóleo requerem despesas de manutenção mais elevadas do que os carros com motor a gasolina.

São também mais susceptível de avariar quando efectuam permanentemente deslocações curtas, sem tempo suficiente para aquecer o motor e fazer o tratamento dos gases de escape.

Há muitos casos em que avariam ou acendem a luz de motor, porque o catalisador ou o filtro de partículas fica danificado ou entupido, porque não consegue fazer o seu trabalho de forma correcta.

Se ainda assim um carro a gasolina não o atrai, equacione a aquisição de uma viatura que funcione simultaneamente a GPL.

Ou então um carro eléctrico, se possuir instalações próprias para carregar a bateria. Ou seja, se não estiver dependente apenas da rede pública para o fazer.


Onde vou comprar o meu próximo automóvel

Posto isto, vamos então à procura do carro novo ou usado que queremos ou precisamos ter.

Dependendo daquilo que procuramos, podemos consultar páginas como o Standvirtual, o OLX ou mesmo o Marketplace do Facebook.

As próprias marcas automóveis, algumas concessões e até gestoras de frota, vendem directamente carros com poucos anos, revistos, com histórico e garantia.

Pesquisas na internet como "carro novo", "carro seminovo" e "carro usado" resultam rapidamente em muitas propostas por parte de vendedores como os que mencionámos acima.

Em alguns casos, algumas dessas empresas até permitem interagir em tempo real com um vendedor que, através de vídeo, pode mostrar mais detalhes da viatura.

Seja pela internet, seja presencialmente não nos devemos desviar dos parâmetros definidos.

Por muito atraente que a proposta pareça ser.

Se a decisão de comprar um carro novo deve-se à incerteza ou desconfiança quanto ao estado de um carro usado, neste texto deixámos algumas pistas.

Por exemplo, se tem dúvidas quanto ao estado mecânico de um carro ou mesmo quanto à sua documentação, pode solicitar que levem o veículo a um centro de inspecções periódicas para fazer uma vistoria aos elementos mais importantes do carro.

Pode também contratar uma garantia automóvel, junto de uma das muitas entidades que vendem garantias automóveis.

Faça uma pesquisa na internet por "garantia automóvel" e vai encontrar várias, que vendem os seus serviços quer para os vendedores profissionais de carros usados, quer para particulares.

Sem esquecer que a aquisição de um usado, junto de um vendedor profissional, tem a vantagem de ter uma garantia mínima de 18 meses, por mútuo acordo entre partes, que, a partir de 2022, foi alargada até aos 3 anos.

E que alguns carros usados, dependendo da marca e da idade da viatura, ainda possuem a garantia do fabricante.

Sem comentários