Header Ads

TECNOLOGIA: Um dia os carros irão andar sozinhos

O construtor sueco Volvo é um dos mais empenhados na concepção e desenvolvimentos de sistemas de assistência à condução que um dia irão permitir que os automóveis circulem com um mínimo de intervenção humana. Como diz Håkan Samuelsson, presidente e CEO da Volvo Car Group, "quase ninguém pensa duas vezes antes de entrar num avião que voa com a ajuda de piloto automático. Mas estar num carro que se conduz por si mesmo enquanto o motorista lê um livro é ainda um pensamento bastante revolucionário para muitas pessoas”. No entanto, a condução autónoma pode trazer importantes benefícios para a sociedade, para o ambiente e para os consumidores.

Apesar das melhorias na segurança automóvel e nas condições de circulação, 1,2 milhões de pessoas ainda morrem anualmente em acidentes de viação.
Em 2007, a Volvo Cars, o primeiro fabricante de automóveis no mundo a lançar uma câmara de visão de segurança, declarava que, em 2012, ninguém deveria morrer ou ficar gravemente ferido a bordo de um Volvo. A intenção e visão deste construtor era a de que os seus automóveis deveriam ser infalíveis em matéria de segurança.
Por outro lado, a sociedade moderna enfrenta desafios futuros exigentes não apenas para melhorar a segurança como para reduzir a poluição e as emissões globais de CO2.
Neste último campo, a condução autónoma pode ajudar a reduzir o consumo de combustível em até 50 por cento em certas situações. Por isso, a mobilidade reduzida e a congestão de tráfego devem ser adicionados à lista de desafios.
"O compromisso da Volvo Cars com a segurança tem um ponto de partida diferente de outros fabricantes de automóveis quando abordamos o campo de condução autónoma", declara Håkan Samuelsson, presidente e CEO da Volvo Car Group. “Permitir que o carro actue automática e autonomamente é crucial. Os actuais sistemas de travagem automática, ajudas à manutenção na faixa de rodagem e controle de cruzeiro adaptativo são exemplos dos primeiros passos para a condução autónoma. Agora, a Volvo Cars está a mover-se em direcção a tecnologias com um maior grau de condução autónoma em condições normais de trânsito”, concretizou o mesmo responsável.

A condução autónoma em filas de trânsito

As primeiras características autónomas serão introduzidas no novo Volvo XC90 até o final de 2014.
O Controlo de velocidade de cruzeiro adaptativa (Adaptive Cruise Control/ACC) controla e orienta automaticamente o veículo em relação ao que segue à sua frente nas filas. Outras características deste sistema incluem o controlo de distância em relação à beira da estrada e a detecção de barreiras ou marcas no rodado de forma a impedir que o carro saia da estrada, movimentando a direcção de forma a trazer o veículo de volta ao caminho certo.
O próximo passo desta tecnologia é controlar o andamento em velocidades mais elevadas em relação ao carro que segue imediatamente à frente. Ao libertar o condutor dessa tarefa, isso irá abrir caminho para a introdução de carros completamente autónomos.
Esta sofisticada tecnologia de auto-condução será testada e avaliados durante o "Drive Me", um projecto que irá realizar-se, em 2017, na cidade natal da Volvo em Gotemburgo. Nessa data, 100 clientes irão “conduzir” outros tantos Volvo com condução autónoma em vias públicas seleccionadas e em torno da cidade.
Este projecto, único no mundo, é uma parceria entre a Volvo Car Group, a Administração dos Transportes da Suécia, a Agência de Transportes da Suécia, Lindholmen Parque da Ciência e a cidade de Gotemburgo.
O projecto "Drive Me" é apoiado pelo Governo sueco e, já em 2014, começa a avaliação e o desenvolvimento de veículos de teste conjunto.
Outro conceito é o sistema de estacionamento autónomo que torna possível o auto-estacionamento do carro uma vez que consegue interagir com segurança com outros carros e pedestres no parque de estacionamento. Velocidade e travagem são adaptados enquanto o condutor utiliza um aplicativo instalado no seu smartphone para activar o estacionamento autónomo e, em seguida, se afasta do carro. O veículo usa sensores para localizar e navegar até um espaço de estacionamento gratuito. O procedimento é revertido quando o condutor deseja regressar ao carro. (ler mais sobre este assunto AQUI - "Automóvel Volvo estaciona sozinho, sem o condutor no interior!")

Mais tempo para o condutor

A condução autónoma irá trazer benefícios significativos de consumo.
Fundamentalmente, irá mudar a forma como olhamos para a condução automóvel. Como um condutor no futuro irá ser capaz de planear o seu percurso com uma mistura de condução autónoma e activa. A condução autónoma com segurança abre assim caminho para uma gestão mais eficiente do tempo passado ao volante.
A condução autónoma - com direcção, aceleração e travagem controladas automaticamente - irá requerer muito pouca interacção humana e já está presente noutras formas de transporte.
Afinal, como afirma o presidente e CEO da Volvo Car Group também “quase ninguém pensa duas vezes antes de subir para um avião capaz de voar ou aterrar sozinho com a ajuda do piloto automático”…

-->

Sem comentários