Header Ads

APRESENTAÇÃO: Peugeot Exalt Concept

Protótipo de 4 portas que antecipa o traço de uma nova linha de modelos familiares da marca. A sua carroçaria é de aço em bruto torneada à mão e feita numa peça única. As linhas atléticas e elegantes assentam em vias largas, linhas alongadas e dinâmicas, uma linha de cintura alta, um pára-brisas inclinado e um tejadilho baixo, de apenas 1,31 metros. Com jantes de 20 polegadas, esta berlina de cinco portas é concebida como uma evolução para a versão sedan do conceito Onyx, apresentado em 2012. Possui um comprimento de 4,70 metros e encontra-se equipado com um conjunto motriz híbrido de 340 cv e tracção integral. Interiormente revela uma evolução do "i-Cockpit" estreado no 208, com uma inovadora e inteligente "luz negra" para realçar as marcas do piso e um inovador sistema que faz o tratamento do ar e limpa as superfícies do habitáculo. O isolamento acústico conta com um misto de lã, couro envelhecido, aço bruto e ébano.


Originário do Onyx, o recorte da carroçaria é reinterpretado, pela associação entre o aço em bruto e um têxtil de elevada eficiência - Shark Skin – inspirado na estrutura da pele dos tubarões.
O notável conforto acústico permite descobrir os materiais – tecido misto em lã natural com base «chiné», couro envelhecido, aço e ébano – que cobrem o habitáculo.
Com as linhas atléticas e elegantes, o EXALT apresenta uma linha atlética, potente e desportiva, com materiais ousados. O seu interior compõe-se de materiais naturais e é dedicado ao conforto e uma condução instintiva. Este "concept" inova ainda na bagageira, que integra um inovador mecanismo de abertura assente numa inovadora cinemática, do tipo pantógrafo.
Esta arquitectura garante uma abertura máxima, ocupando um reduzido volume externo. A porta traseira de operação mecânica e integrada dá acesso a uma bagageira com um acesso de carga baixo. Forrada a madeira, apresenta um aspecto particularmente gratificante e facilita a manipulação da bagagem.
Após um longo capot, ópticas duplas, encastradas no pára-choques, integram a assinatura luminosa identificadora da marca. Ao centro, uma grelha poderosa emerge da carroçaria, ostentando uma dupla encenação do leão. Na secção inferior, o fluxo de ar de alimentação do motor é recortado pelos indicadores de mudança de direcção, em LED.
Para melhorar o coeficiente de penetração, a secção traseira é revestida por material Shark Skin. Um têxtil de elevada eficiência. Graças à sua estrutura em grão, este material biomimético melhora significativamente as capacidades aerodinâmicas do veículo, tendo como objectivo a redução de consumos. A sua utilização é sublimada por uma linha de corte que faz a transição entre o portão traseiro e o quarto posterior da viatura, a transição entre o tom cinza do aço e o vermelho da pele de tubarão. Este material contribui para o desempenho aerodinâmico do EXALT - com um SCx de 0,6 - em combinação com outros elementos: extractor de ar no pára-choques traseiro, curvatura do tejadilho, formato dos retrovisores exteriores.

Mecânica de muito elevadas prestações

Pesando 1700 kg, o EXALT é motorizado por um bloco HYbrid4 plug-in com uma potência total de 340 cv repartida às quatro rodas.
Debaixo do capot aninha-se o motor 1.6 THP 270 desenvolvido pela PEUGEOT Sport. Acoplado a uma caixa de seis velocidades automática, este bloco de quatro cilindros a gasolina disponibiliza uma potência específica de cerca de 170 cv/l, uma das melhores do mundo.
Atrás, a estrutura multi-braços integra uma mecânica eléctrica de 50 kW para os modos de condução eléctrica ou híbrida. Este motor intervém, também, para o carregamento da bateria por recuperação da energia da travagem. Ao levantar o pé do pedal acelerador, a travagem faz-se pela resistência do binário do próprio motor eléctrico. A tecnologia HYbrid4 converte, assim, em electricidade a energia cinética que se perderia pelos discos e pastilhas.
Como tecnologia inteligente, o HYbrid4 adapta-se instantaneamente aos desejos do condutor, ao seleccionar o modo adaptado: eléctrico, a gasolina, híbrido gasolina/eléctrico.

Prazer dos sentidos

No PEUGEOT i-Cockpit, o painel de instrumentos digital surge lado a lado com os "Toggle Switches".
O pequeno volante forrado a couro e têxtil «chiné», bem como o painel de instrumentos digital em posição elevada, tem o condutor como eixo, para que este tenha uma utilização e leitura intuitivas. Na extensão da consola central, dois ecrãs retrácteis e sensíveis ao toque emergem do painel de bordo. O ecrã superior dá acesso a funções como o computador de bordo, o sistema HiFi ou a navegação; o inferior apresenta uma faixa permanentemente visível, nela operando-se o sistema de climatização automático e o sistema Pure Blue.
O painel de bordo conta com nove "Toggle Switches" que evocam, pelo seu design, o universo da música. Dividem-se em dois grupos, com dois comandos à direita do pequeno volante e sete à sua direita. Esta divisão foi decidida pela capacidade que o cérebro humano tem de memorizar facilmente até sete elementos, em termos de posição e de função. Por outro lado, o condutor pode configurá-los às diferentes funções : acesso à navegação com um, definir os parâmetros do modelo com outro, etc.
Pode, também, associar a um dos "Toggle Switches" a activação do sistema de luz negra. Integrado nos projectores, este sistema é particularmente eficaz aquando das transições entre o dia e a noite. A condução torna-se, assim, mais segura e serena nessas condições de visibilidade precária, com a luz negra a fazer realçar as marcas no piso.
Para o conforto dos ocupantes, está também equipado com um inovador sistema de tratamento de ar chamado Pure Blue. Quando estacionado e com o veículo vazio, o sistema Pure Blue limpa as superfícies do habitáculo, através da difusão de bactericidas e fungicidas; quando o veículo estiver em movimento, um filtro activo faz o tratamento do ar antes da sua entrada no habitáculo, eliminando compostos orgânicos voláteis e partículas finas. Os ocupantes podem, assim, viajar em todas as circunstâncias numa atmosfera pura.

Pureza ao natural

Tendo como referência o trabalho realizado ao nível da carroçaria, o aço é empregue em bruto para deixar que a própria matéria destaque as linhas do veículo. Acessórios como as jantes são, também, mantidos em bruto a fim de se poder apreciar as marcas deixadas pela fresadora.
O aço permanece a nu em todas as áreas onde não entre em contacto com o corpo dos quatro ocupantes.
Ao nível dos cotovelos e nas áreas de apoio de braços, o EXALT adorna-se com madeira em tons quentes. A partir do limite inferior dos vidros, ele cede o seu lugar a um têxtil «chiné» à base de lã natural que cobre as portas, o painel de bordo e o tejadilho. Entre estes dois materiais surge uma faixa impressa em 3D que dissimula as fontes de som do sistema Hi-Fi. A sua estrutura inspira-se nas câmaras anecoicas, com paredes em ângulos de diedro para redução das perturbações acústicas.
A bordo do PEUGEOT EXALT, cada ocupante conta com uma recepção privilegiada, seja ele condutor ou passageiro. Os bancos do tipo "bacquet" com uma estrutura em material compósito, associa assentos e costas em material têxtil "chiné" a áreas em couro envelhecido.

Sem comentários