Header Ads

APRESENTAÇÃO: MINI Cooper, Cooper S (MY 2014)

A terceira geração do MINI é maior do que as anteriores, tem novos motores e mais equipamento. Apesar disso é mais leve graças ao uso do alumínio. Com maior distância entre os eixos, cresceu o espaço e a funcionalidade da zona traseira, cuja bagageira é agora de 211 litros. Quanto a motores há dois novos a gasolina e um a gasóleo. A gasolina, o menos potente é um três cilindros de 1,5 litros com 136 cv, enquanto que a versão Cooper S dispõe de um quatro cilindros de 2,0 litros com 192 cv. A oferta Diesel concentra-se num motor de três cilindros com 1.5 litros e 116 cv. Todos os motores possuem injecção directa e turbocompressor.

Assente sobre uma nova plataforma que será também utilizada pelo futuro Série 1 da BMW, o novo Mini mede 3,82 metros de comprimento (o Cooper S 3,85 m), 1,727 metros de largura e 1,414 metros de altura. Por isso tem cerca de mais 10 cm no comprimento, mais 4,4 centímetros na largura e escassos 7 milímetros a mais na altura.
A distância entre eixos também cresceu cerca de 3 cm (2,495 metros), enquanto que a largura da via foi ampliado na frente em 42 milímetros e na parte traseira em 34 milímetros.
A capacidade da bagageira cresceu 51 litros e passou para 211 litros.
Ao longo de 2014 irão ser introduzidos novos motores mais acessíveis ou mais potentes, bem como serão apresentadas as versões Cabrio e carrinha Clubman.

Novos motores, mecânica mais leve

A gama articula-se em redor dos seguintes motores, todos com injecção directa, sobrealimentados e de acordo com as normas europeias de emissões Euro 6:
- Mini Cooper: 1.5, 3 cilindros, 136 cv entre 4 500 e 6 000 rpm e 220 Nm (230 com overboost) disponível a 1.250 rpm. Acelera de 0 a 100 km/h em 7,9 segundo (cx. automática em 7,8 segundos) e a sua velocidade máxima é de 210 km/h. Consumo médio entre 4.5 e 4.6 litros (ou 4,7 a 4,8 litros por 100 km) e um nível de emissões de CO2 de 105 a 107 g/km.

- Mini Cooper S: 2.0, 4 cilindros, 192 cv entre 4 700 e 6 000 rpm e 280 Nm (300 com overboost) a partir das 1250 rpm. Aceleração de zero a 100 km/h em apenas 6,8 segundos (cx. automática: 6,7 segundos), enquanto a velocidade máxima é de 235 km/h (ou 233 kmh). O consumo médio de combustível é de 5,7 a 5,8 litros (5,2 a 5,4 litros), enquanto que o seu nível de emissões de CO2 é de 133 ou 136 g/km.

- Mini D Cooper: 1.5, 3 cilindros, 116 cv às 4000 rpm e 270 Nm a partir das 1750 rpm. Aceleração em 9,2 segundos quer com transmissão manual como automática. A velocidade máxima é de 205 ou 204 km/h. Consumo médio de 3,5 a 3,6 litros (3,7 a 3,8 litros) e emissões de CO2 de 92 a 95 g/km.

Todos os motores dispõem de uma caixa de velocidades manual ou automática de seis velocidades. A transmissão manual tem um sistema que ajusta automaticamente a velocidade do motor quando ocorre mudança de velocidade.
A transmissão automática em combinação com o sistema de navegação pode adaptar o seu funcionamento em função do percurso, antecipando, por exemplo, uma curva ou um cruzamento.
A utilização do alumínio em certas partes da suspensão e o recurso a novas barras estabilizadoras contribui para que todas as versões sejam mais leves do que a geração anterior. O tipo de suspensão mantém-se, mas foi completamente renovado e, além disso, é possível optar por amortecedores de amortecimento ajustável electronicamente (DDC). De acordo com a MINI, A direcção assistida é mais precisa e oferece uma sensação melhor do que no modelo anterior.

Equipamento novo

Uma das grandes novidades da nova geração MIni é o painel de instrumentos atrás do volante: velocímetro, conta-rotações e nível de combustível são apresentados em instrumentos circulares dispostos verticalmente. Pode ainda ter sistema de informação projectada numa prancha plástica à altura dos olhos do condutor (com imagens a cores), câmara para auxílio ao estacionamento traseiro, faróis de LED para curto e longo feixe de luz ajustável, e sistema de estacionamento automático (funciona até 35 km/h e pode estacionar em locais que excedem pelo menos 1 m ao comprimento total do carro),dispositivo activo de velocidade, avisador de sinais de trânsito e alternância automática de luzes no cruzamento de veículos.
Também faz parte do equipamento opcional um novo elemento chamado “MINI Driving Modes”, através do qual é possível eleger três modos de condução: MID, SPORT e GREEN. Este dispositivo modifica a sensibilidade do acelerador, a dureza da direcção, a velocidade de mudança de velocidades (quando equipado com transmissão automática) e a dureza da suspensão de amortecimento variável DCC. Com a transmissão automática, no modo de condução “VERDE”, ao levantar o pé do acelerador entre os 50 e os 160 Km/h, passa automaticamente para “ponto morto” de forma a economizar combustível.
Está também disponível um sistema de travagem de emergência em cidade, com detecção de pedestres, que trabalha com uma câmara na frente do espelho retrovisor. Opera entre os 15 e os 60 km/h, com um alerta sonoro e visual para um risco potencial de colisão. Se o condutor não reagir, o próprio carro executa uma travagem de emergência de modo a evitar ou reduzir a gravidade do impacto. Além disso, o capot é automaticamente levantado em caso de colisão.



-->

Sem comentários